Primeira Leitura (At 18,23-28)


Leitura dos Atos dos Apóstolos.

23Paulo permaneceu algum tempo em Antioquia. Em seguida, partiu de novo, percorrendo sucessivamente as regiões da Galácia e da Frígia, fortalecendo todos os discípulos. 24Chegou a Éfeso um judeu chamado Apolo, natural de Alexandria. Era homem eloquente, versado nas Escrituras. 25Fora instruído no caminho do Senhor e, com muito entusiasmo, falava e ensinava com exatidão a respeito de Jesus, embora só conhecesse o batismo de João. 26Então, ele começou a falar com muita convicção na sinagoga. Ao escutá-lo, Priscila e Áquila tomaram-no consigo e, com mais exatidão, expuseram-lhe o caminho de Deus.

27Como ele estava querendo passar para a Acaia, os irmãos apoiaram-no e escreveram aos discípulos para que o acolhessem bem. Pela graça de Deus, a presença de Apolo aí foi muito útil aos fiéis. 28Com efeito, ele refutava vigorosamente os judeus em público, demonstrando pelas Escrituras que Jesus é o Messias.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 46)


— O Senhor é o grande Rei de toda a terra.

— O Senhor é o grande Rei de toda a terra.

— Povos todos do universo, batei palmas, gritai a Deus aclamações de alegria! Porque sublime é o Senhor, o Deus Altíssimo, o soberano que domina toda a terra.

— Porque Deus é o grande Rei de toda a terra, ao som da harpa acompanhai os seus louvores! Deus reina sobre todas as nações, está sentado no seu trono glorioso.

— Os chefes das nações se reuniram com o povo do Deus santo de Abraão, pois só Deus é realmente o Altíssimo, e os poderosos desta terra lhe pertencem!


Evangelho (Jo 16,23b-28)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo João. 

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:23b“Em verdade, em verdade vos digo: se pedirdes ao Pai alguma coisa em meu nome, ele vo-la dará. 24Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis; para que a vossa alegria seja completa.

25Disse-vos estas coisas em linguagem figurativa. Vem a hora em que não vos falarei mais em figuras, mas claramente vos falarei do Pai. 26Naquele dia pedireis em meu nome, e não vos digo que vou pedir ao Pai por vós, 27pois o próprio Pai vos ama, porque vós me amastes e acreditastes que eu vim da parte de Deus. 28Eu saí do Pai e vim ao mundo; e novamente parto do mundo e vou para o Pai”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Busquemos a autoridade do nome de Jesus

“Em verdade, em verdade vos digo: se pedirdes ao Pai alguma coisa em meu nome, ele vo-la dará. Até agora, nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis; para que a vossa alegria seja completa” (João 16,23b-24).

Temos um nome para o qual devemos viver, sentir alegria e honra de pertencer: é o nome de Jesus. Sei que as pessoas, na sociedade, no mundo, deixam-se levar pelos nomes que são importantes, pelos renomes que brilham e representam alguma coisa.

Algumas pessoas até gostam de destacar seu nome, seu sobrenome, principalmente se estiver ligado à autoridade, a uma pessoa famosa, uma pessoa importante ou assim por diante. Mas os nomes passam, e o único nome que tem poder e autoridade é o nome de Jesus. O único nome que nos salva, liberta-nos e cura é o nome de Jesus. O nome em que devemos nos alegrar de pertencer é o nome de Jesus.

Quando fomos batizados, o nome de Jesus foi acrescentado ao nosso, passamos a ser cristãos, porque Ele é o Cristo e nós somos os Seus seguidores, por isso somos outros cristos, somos ungidos também.

A graça e o Espírito de Jesus estão em nós, é com o Espírito d'Ele que somos ungidos, e essa deve a alegria da nossa vida e do nosso coração, essa deve ser a nossa razão de viver. Não é nada de radicalismo, mas é opção de vida.

Sei que quando alguém se encontra com uma pessoa famosa e importante, aquilo fica importante para a pessoa com tamanha grandeza, que ocupa o coração, o quarto, o que a pessoa faz.

Em toda e qualquer situação, clamemos o nome de Jesus, vivamos na autoridade d’Ele

No meu quarto, onde trabalho, só tem uma coisa que é importante: o nome de Jesus, Jesus Crucificado, o Cristo pregado na cruz. É esse nome que sigo, esse nome dá razão, significado e alegria à minha vida.

Até agora, não pedimos nada em nome de Jesus, pedimos em nosso nome, pedimos baseados em nome de pessoas que conhecemos. Favores humanos se usam nomes humanos, mas precisamos, nas questões humanas, nas questões todas da vida, buscar o nome de Jesus, a autoridade e o poder d’Ele.

Até agora, não usamos o nome de Jesus, não vivemos em nome d’Ele, não clamamos ao Pai no nome e na autoridade que Jesus tem. Por isso, hoje, convido você para reverenciarmos, amarmos, adorarmos, proclamarmos e exaltarmos o nome de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Em toda e qualquer situação, clamemos o nome de Jesus, vivamos na autoridade d’Ele e deixemos que nossa vida seja guiada por Ele. Neste nome há poder, autoridade, salvação, razão de viver e alegria. Jesus, o Senhor e Salvador. Jesus, minha alegria de ser.

Deus abençoe você!        

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Fé, amor e oração

Faz Cristo uma grande promessa hoje: “Se pedirdes ao Pai alguma coisa em meu nome, Ele vo-la dará”, e explica em seguida os termos e a garantia dela: “Pois o próprio Pai vos ama, porque vós me amastes e acreditastes que eu vim da parte de Deus”. Que significam essas palavras? Como podemos, realmente, pedir algo a Deus em nome de seu Filho e esperar recebê-lo com certeza? Não serão vãs as nossas esperanças, já que tantas vezes deixamos de receber o que tanto pedimos? Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para este sábado, dia 23 de maio, e medite conosco mais uma página do santo Evangelho.





Santo do Dia:

São Juliano esposo fiel, amou a família e os necessitados

Era casado e possuía uma hospedaria. Nela, ele partilhava a vida eterna que trazia em seu coração. Esposo fiel que amou a família e os necessitados.

No ano de 305, o imperador Diocleciano começou uma perseguição aos cristãos. Juliano, então, passou a acolher em sua hospedaria os cristãos perseguidos.

Alguns homens denunciaram Juliano. Ele foi arrancado de casa e levado ao tribunal. Por não renunciar à fé em Cristo, foi condenado e decapitado. Hoje, ele vive com Cristo na Glória. Continuamos em tempos de perseguição, velada em alguns lugares e, em outros, bem visível.

Que o santo de hoje possa interceder para que, o Espírito Santo, nos ajude a sermos ousados em nosso testemunho, sem medo da morte e das perseguições, certos de que a nossa recompensa se encontra no céu.

São Juliano, rogai por nós!