Antífona de entrada

O Senhor fala de paz a seu povo e a seus amigos e a todos os que se voltam para ele. (Sl 84, 9)

Oração do dia

Levantai, ó Deus, o ânimo dos vossos filhos e filhas, para que, aproveitando melhor as vossas graças, obtenham de vossa paternal bondade mais poderosos auxílios. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Ap 18, 1-2. 21-23; 19, 1-3. 9a)


Leitura do Livro do Apocalipse de São João


Eu, João, 18,1vi outro anjo descendo do céu. Tinha grande poder, e a terra ficou toda iluminada com a sua glória. 2Ele gritou com voz poderosa: “Caiu! Caiu Babilônia, a grande! Tornou-se morada de demônios, abrigo de todos os espíritos maus, abrigo de aves impuras e nojentas. 21Nessa hora, um anjo poderoso levantou uma pedra do tamanho de uma grande pedra de moinho e atirou-a ao mar, dizendo: “Com esta força será lançada Babilônia, a Grande Cidade, e nunca mais será encontrada. 22E o canto de harpistas e músicos, de flautistas e tocadores de trombeta, em ti nunca mais se ouvirá; e nenhum artista de arte alguma em ti jamais se encontrará; e o canto do moinho em ti nunca mais se ouvirá; 23e a luz da lâmpada em ti nunca mais brilhará; e a voz do esposo e da esposa em ti nunca mais se ouvirá, porque os teus comerciantes eram os grandes da terra, e com magia tu enfeitiçaste todas as nações”. 19,1Depois disso, ouvi um forte rumor, de uma grande multidão no céu, que clamava: “Aleluia! A salvação, a glória e o poder pertencem ao nosso Deus, 2porque seus julgamentos são verdadeiros e justos. Sim, Deus julgou a grande prostituta que corrompeu a terra com sua prostituição, e vingou nela o sangue dos seus servos”. 3E repetiram: “Aleluia! A fumaça dela fica subindo para toda a eternidade!” 9aE um anjo me disse: “Escreve: Felizes são os convidados para o banquete das núpcias do Cordeiro”.

Salmo Responsorial (Sl 99)


R. São bem-aventurados os que foram convidados para a Ceia Nupcial das bodas do Cordeiro!


— Aclamai o Senhor, ó terra inteira, servi ao Senhor com alegria, ide a ele cantando jubilosos! R.

— Sabei que o Senhor, só ele, é Deus, Ele mesmo nos fez e somos seus, nós somos seu povo e seu rebanho. R.

— Entrai por suas portas dando graças, e em seus átrios com hinos de louvor; dai-lhe graças, seu nome bendizei! R.

— Sim, é bom o Senhor e nosso Deus, sua bondade perdura para sempre, seu amor é fiel eternamente! R.

Aclamação ao Evangelho

R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Levantai vossa cabeça e olhai, pois a vossa redenção se aproxima! (Lc 21, 28) R.

Evangelho (Lc 21, 20-28)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Lucas 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 20“Quando virdes Jerusalém cercada de exércitos, ficai sabendo que a sua destruição está próxima. 21Então, os que estiverem na Judeia, devem fugir para as montanhas; os que estiverem no meio da cidade, devem afastar-se; os que estiverem no campo, não entrem na cidade. 22Pois esses dias são de vingança, para que se cumpra tudo o que dizem as Escrituras.

23Infelizes das mulheres grávidas e daquelas que estiverem amamentando naqueles dias, pois haverá uma grande calamidade na terra e ira contra este povo. 24Serão mortos pela espada e levados presos para todas as nações, e Jerusalém será pisada pelos infiéis, até que o tempo dos pagãos se complete. 25Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as nações ficarão angustiadas, com pavor do barulho do mar e das ondas. 26Os homens vão desmaiar de medo, só em pensar no que vai acontecer ao mundo, porque as forças do céu serão abaladas. 27Então eles verão o Filho do Homem, vindo numa nuvem com grande poder e glória. 28Quando estas coisas começarem a acontecer, levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima”.

Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Deus, estes dons que nos mandastes consagrar em vossa honra e, para que eles nos tornem agradáveis aos vossos olhos, dai-nos guardar sempre os vossos mandamentos. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes; povos todos, festejai-o! Pois comprovado é seu amor para conosco, para sempre ele é fiel! (Sl 116, 1-2)

Ou:


Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos, diz o Senhor. (Mt 28, 20)

Depois da Comunhão

Fazei, ó Deus todo-poderoso, que nunca nos separemos de vós, pois nos concedeis a alegria de participar da vossa vida. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 26/11/2020
Cristo veio ao mundo para nos salvar

“Então, eles verão o Filho do Homem, vindo numa nuvem com grande poder e glória. Quando estas coisas começarem a acontecer, levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima” (Lucas 21,27-28).

O Evangelho que Lucas nos narra hoje nos traz algumas realidades importantes da história e da vida humana. A primeira são os acontecimentos que dizem respeito à Jerusalém quando ela é cercada, sitiada e também destruída. Isso aconteceu no ano 70 da nossa era; e sabemos tudo aquilo que foi trágico e o quê significou, mas o Senhor advertiu os Seus para que permanecessem firmes diante de tamanhas calamidades.

Depois, a segunda é a realidade final da história da humanidade. Todos nós sabemos que caminhamos para o fim dos tempos, não sabemos qual é o momento final e não precisamos saber nem nos preocupar, porque, ainda que grandes coisas hão de acontecer, sinais no sol, na lua, nas estrelas, na terra, nações angustiadas, pavor do barulho do mar e tantas coisas que parecem desastrosas, isso não é para nos desanimar. Pelo contrário, é para nos animar saber que quando as coisas se apavoram, se tornam difíceis, quando o mundo se torna agitado, é aí que Deus está mais perto de nós, é aí que a graça de Deus está mais próxima de nós.

O mundo pode parecer perdido, mas não vamos nos perder no mundo porque Jesus veio para nos salvar

Quando alguns ou todos tiverem a convicção de que o mundo há de acabar, você pode ter certeza que a vida estará apenas começando, porque será o Reino eterno de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele virá para buscar os Seus para reinar no meio de nós.

Então, não nos preocupemos com esse dia e nem com essa hora, porque se essas coisas todas acontecerem, os que são de Deus estarão com Ele para sempre. Pelo contrário, quando olharmos para o mundo em que estamos e vermos tantas coisas que são trágicas aos nossos olhos, não é para fecharmos os olhos, é para acordar e saber situar-se.

É preciso levantar a cabeça, erguer a cabeça porque a nossa libertação e a nossa salvação estão próximas, porque Deus não abonadona os Seus diante dos acontecimentos mais duros e trágicos que possam acontecer na vida humana e na história da humanidade.

O nosso olhar é de fé, esperança, confiança e certeza de que há um Deus que cuida de nós. O mundo pode parecer perdido, mas não vamos nos perder no mundo porque Jesus veio para nos salvar, por isso permitamos ser salvos por Jesus a cada dia.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco

Quando tudo passar…

Em apenas dois versículos, Jesus nos acorda para um medo que muitos não querem enfrentar e nos revela a alegria que, no fundo, ele nos deveria trazer. A figura deste mundo passa e, com ele, passará nossa vida, passarão nossos familiares, amigos e projetos; mas devemos manter erguida a cabeça, porque sabemos por fé que, quando tudo passar, entraremos na posse do Único que não passará jamais, Jesus Cristo, o mesmo ontem, hoje e sempre. Assista à homilia do Pe. Paulo Ricardo para esta quinta-feira, dia 26 de novembro, e medite conosco mais uma página do santo Evangelho.




Santo do dia 26/11/2020

São Leonardo de Porto Maurício

Lembramos hoje a santidade do sacerdote que, pela sua vida e missão, mereceu ser constituído pelo Papa Pio XI, como Patrono dos sacerdotes que, em qualquer parte da terra, se consagram às missões populares católicas.

São Leonardo, o grande missionário do século XVIII, como lhe chamou Santo Afonso Maria de Ligório, nasceu em Porto Maurício, perto de Gênova, Itália, a 20 de dezembro de 1676. Aconteceu que Leonardo perdeu muito cedo sua mãe, tendo sido criado e educado pelo seu tio. Encontrou cedo sua vocação ao Sacerdócio, por isso, ao renunciar a si mesmo, foi para Roma formar-se no Colégio da Companhia de Jesus. Por causa da sua inocência e sólida virtude, conquistou a simpatia e a alta consideração de seus superiores, que nele viam outro angélico Luís Gonzaga. Entrou para a Ordem Franciscana, no Convento de São Boaventura, e com 26 anos já era Padre.

Começou a vivenciar toda a riqueza do Evangelho e a radicalidade típica dos imitadores de Francisco, por isso ocupou posições cada vez maiores no serviço à Ordem, à Igreja e para com todos. Devoto da Virgem Maria, que lhe salvou a vida num tempo de incurável doença (tuberculose), São Leonardo de Porto Maurício era devotíssimo do Sagrado Coração de Jesus na forma da adoração ao Jesus Eucarístico.

Foi, no século XVIII, o grande apóstolo do santo exercício da Via-Sacra. Era um grande amante da pobreza radical e franciscana. Toda a vida, penitências e orações de São Leonardo convergiam para a salvação das almas. Era tal a unção, a caridade ardente e o entusiasmo que repassava em suas pregações, que o célebre orador Bapherini, encanecido já no exercício da palavra, sendo enviado por Clemente XII a ouvir os sermões de Leonardo para depois o informar a este respeito, desempenhou-se da sua missão dizendo "que nunca ouvira pregador mais arrebatador, que o efeito de seus discursos era irresistível, que ele próprio não pudera reter as lágrimas". São Leonardo era digno sucessor de Santo Antônio de Lisboa, de São Bernardino de Sena e de São João Capistrano.

O próprio Pontífice Bento XIV quis ouvir o famoso missionário, e para isso chamou-o a Roma, em 1749, a fim de preparar os fiéis para o Ano Santo. Depois de derramar-se por Deus e pelos outros, São Leonardo de Porto Maurício, não se tornou mártir, como tão desejava, mas deu toda sua vida no dia-a-dia até adoecer e entrar no Céu a 26 de novembro de 1751, no Convento de São Boaventura, em Roma, onde, 54 anos antes, se consagrara ao Senhor sob o burel de São Francisco. Não se limitou apenas à pregação o ilustre missionário de Porto Maurício; deixou também vasta coleção de escritos, publicados a princípio isoladamente, e reunidos depois numa grande edição, que prolonga no futuro a sua prodigiosa ação missionária, não apenas dentro das fronteiras da Itália, mas cujo âmbito é todo o mundo civilizado, pelas traduções feitas em quase todas as línguas cultas. Estes escritos constituem, em geral, um rico tesouro de verdades ascéticas e ensinamentos morais e homiléticos.

São Leonardo de Porto Maurício, rogai por nós!