Antífona de entrada

Deus habita em seu templo santo, reúne seus filhos em sua casa; é ele que dá força e poder a seu povo. (Sl 67, 6-7. 36)

Oração do dia

Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Ex 34, 29-35)


Leitura do Livro do Êxodo


29Quando Moisés desceu da montanha do Sinai, trazendo nas mãos as duas tábuas da aliança, não sabia que a pele do seu rosto resplandecia por ter falado com o Senhor. 30Aarão e os filhos de Israel, vendo o rosto de Moisés resplandecente, tiveram medo de se aproximar.

31Então Moisés os chamou, e tanto Aarão como os chefes da Comunidade foram para junto dele. E, depois que lhes falou, 32todos os filhos de Israel também se aproximaram dele, e Moisés transmitiu-lhes todas as ordens que tinha recebido do Senhor no monte Sinai.

33Quando Moisés acabou de lhes falar, cobriu o rosto com um véu. 34Todas as vezes que Moisés se apresentava ao Senhor, para falar com ele, retirava o véu, até a hora de sair; depois saía e dizia aos filhos de Israel tudo o que lhe tinha sido ordenado.

35E eles viam a pele do rosto de Moisés resplandecer; mas ele voltava a cobrir o rosto com o véu, até o momento em que entrava para falar com o Senhor.

Salmo Responsorial (Sl 98)


R. Santo é o Senhor nosso Deus!


— Exaltai o Senhor nosso Deus, e prostrai-vos perante seus pés, pois é santo o Senhor nosso Deus! R.

— Eis Moisés e Aarão entre os seus sacerdotes. E também Samuel invocava seu nome, e ele mesmo, o Senhor, os ouvia. R.

— Da coluna de nuvem falava com eles. E guardavam a lei e os preceitos divinos, que o Senhor nosso Deus tinha dado. R.

— Exaltai o Senhor nosso Deus, e prostrai-vos perante seu monte, pois é santo o Senhor nosso Deus! R.


R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Eu vos chamo meus amigos, pois vos dei a conhecer o que o Pai me revelou. (Jo 15, 15b) R.

Evangelho (Mt 13, 44-46)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Mateus 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 44“O Reino do Céus é como um tesouro escondido no campo. Um homem o encontra e o mantém escondido. Cheio de alegria, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquele campo. 45O Reino dos Céus também é como um comprador que procura pérolas preciosas. 46Quando encontra uma pérola de grande valor, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquela pérola”.

Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Pai, os dons que recebemos da vossa bondade e trazemos a este altar. Fazei que estes sagrados mistérios, pela força da vossa graça, nos santifiquem na vida presente e nos conduzam à eterna alegria. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não esqueças nenhum de seus favores! (Sl 102, 2)

Ou:


Bem-aventurados os misericordiosos, porque obterão misericórdia. Bem-aventurados os corações puros, porque verão a Deus. (Mt 5, 7-8)

Depois da Comunhão

Recebemos, ó Deus, este sacramento, memorial permanente da paixão do vosso Filho; fazei que o dom da vossa inefável caridade possa servir à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 28/07/2021
O tesouro do Reino de Deus dá sentido à nossa vida

“O Reino do Céus é como um tesouro escondido no campo. Um homem o encontra e o mantém escondido. Cheio de alegria, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquele campo” (Mateus 13,44).

É o tesouro mais precioso e mais valioso da nossa vida: o Reino dos Céus. Quem encontrou esse tesouro encontrou a vida, o sentido e a razão para sua vida.

Às vezes, vejo muitas pessoas no Reino de Deus ainda perdidas, não se encontraram, parece que não encontraram ainda o sentido da vida, não encontraram a riqueza e o tesouro maior da sua vida. Vejo as pessoas contando com tanta vantagem sobre as coisas deste mundo, sobre os tesouros deste mundo, vejo as pessoas, o tempo inteiro, falando sobre dinheiro, conquistas, sobre os bens materiais.

Faz diferença quando você chega na casa de uma pessoa transformada por Jesus. Às vezes, a pessoa te recebe com muito amor na sua casa e quer mostrar primeiro a casa, com o que ela tem de material, com que ela tem de conquistas - é fruto do trabalho e do esforço - mas você percebe quando a pessoa mostra somente a coisa material por ser material.


Quem encontrou esse tesouro, encontrou a vida, o sentido e a razão para sua vida

O belo, o bonito é contemplar a riqueza espiritual da transformação. Nada contra a pessoa ter uma casa bela e arrumada, mas o mais belo é você não ver o que os olhos estão vendo, e sim aquilo que está acontecendo dentro do coração, que é a transformação interior daquela casa, daquele casal, daquela família.

Que bom se o tesouro de nossas casas e famílias não fosse mesmo as coisas materiais. Que bom se os pais entendessem que o tesouro que eles têm que dar para os seus filhos, o tesouro que têm que partilhar e compartilhar com a sua família é o Reino de Deus e a Sua Palavra.

As coisas materiais existem e passaram, mas a gente vê, muitas vezes, uma casa quando está repleta de coisas materiais e, ali, os filhos, a família está preso a essas coisas. Basta hoje um computador, um celular para a pessoa ficar presa, escravizada e não sair dali porque aquilo prende o seu coração.

"Onde está o seu tesouro, ali está o seu coração" (Mateus 6,21). Não posso acreditar que uma pessoa que passa o dia inteiro em frente à televisão encontrou realmente a razão e o sentido da sua vida. Encontrou essas coisas materiais.

Não se deixe prender, não se deixe iludir, não se deixe enganar, porque, nós, cristãos, estamos sendo enganados pelo pensamento próspero das coisas materiais e estamos nos prendendo a essas coisas porque elas são ilusórias, atrativas e ludibriam. Inclusive, os pais estão ludibriando seus filhos com essas coisas também materiais, estão realmente fazendo com que seus olhos possam ser transformados e conquistados por coisas materiais.

Não há mais beleza numa família em se reunir para conversar, para estarem juntos, porque não podem, porque as coisas materiais não permitem os tesouros do Reino dos Céus, a convivência, a paz, a harmonia...

Cuidado com a falsa paz, onde cada um está no seu quarto trancado, em frente a um computador ou com seu celular, onde mal dá tempo de uma casa se encontrar. Vivemos tempos de muitas ilusões, o que parece ser bom não é tão bom assim. O que parece abrilhantar não tem o verdadeiro brilho.

Conquistemos o verdadeiro tesouro do Reino dos Céus, pois é ele que dá sentido à nossa vida.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco

Prata por fora, outro por dentro

Quantos milhões de fiéis estão diariamente ouvindo a Palavra de Deus, parábolas, pregações e assistindo a filmes sobre a vida dos santos. Mas, embora muitos estejam aprendendo coisas, só alguns as estão vendo. Quando ouvimos a Palavra de Deus, uma pregação ou uma aula de catequese, aquilo, no início, é cultura, algo que se aprende. Aprendemos uma fórmula de catequese, entendemos uma pregação, estudamos uma parábola e podemos achar tudo muito curioso e interessante, fascinados como estamos pelo mundo maravilhoso da Igreja Católica. No entanto, é somente com a atitude da oração que finalmente, meditando sobre esses grandes e preciosos mistérios, poderemos enxergar o tesouro escondido. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quarta-feira, dia 28 de julho, e medite conosco mais uma página do santo Evangelho!




Santo do dia 28/07/2021

 

 


São Vítor I (Memória Facultativa)
Local: Roma, Itália
Data: 28 de Julho † c. 200


Um africano por nascimento e o primeiro papa latino, ele pode ter avançado a latinização da igreja romana, até então ofuscada por influências greco-orientais. Ele foi certamente o mais autoritativo dos papas do segundo século.

Cedo em seu papado, no interesse da uniformidade mas também provavelmente provocado por pessoas interessadas na data “Quartodecimiana” para comemorar a Páscoa, ele se esforçou para trazer outras igrejas a celebrá-la no domingo seguinte ao dia 14 do mês judaico Nisan (dia da Páscoa) mesmo se caísse em um dia de semana. Sínodos foram realizados em Roma e em outros centros da Gália até a Mesopotâmia, e a opinião da maioria dos bispos foi de se instituir esta data. As igrejas da Ásia Menor, no entanto, recusaram abandonar o antigo costume Quartodecimiano (de observar a Páscoa no dia 14 Nisan, não importando o dia da semana em que caísse). O Papa Vítor I então proclamou a exclusão da comunhão, não simplesmente em Roma, mas para a igreja geral que não seguisse o novo decreto. Esta ação provocou uma tempestade de protestos, e Irineu de Lyon, cuja igreja aceitou sua decisão, com perspicácia lembrou-lhe que todos os papas anteriores mostraram indulgência à prática Quartodecimiana em um momento em que a própria Igreja de Roma não celebrava a Páscoa deste modo e a discrepância era, portanto, ainda mais gritante.

Não está claro como Vítor I reagiu, mas sua diligência foi um impressionante exemplo, indo além da intervenção pessoal de Clemente I a Corinto, a um papa reivindicando o direito de interferir em outras igrejas. Com vigor semelhante, ele excomungou o líder de um grupo adocionista que ensinava que Jesus tinha sido uma pessoa comum, mas supremamente justo, homem até o Espírito descer sobre ele em seu batismo, além de um padre que havia se tornado agnóstico.

Vítor I, através da proximidade que conquistou com a família imperial, conseguiu a libertação de uma grande quantidade de cristãos condenados; uma das pessoas que foram libertas seria nada mais nada menos que um futuro papa, Calisto I. De acordo com São Jerônimo, ele foi o autor de obras latinas de boa qualidade. Há relatos que ele foi martirizado, e conseguindo a coroa celeste, está enterrado perto de São Pedro.

São Vitor I, rogai por nós!