Antífona de entrada

O Senhor fala de paz a seu povo e a seus amigos e a todos os que se voltam para ele. (Sl 84, 9)

Oração do dia

Levantai, ó Deus, o ânimo dos vossos filhos e filhas, para que, aproveitando melhor as vossas graças, obtenham de vossa paternal bondade mais poderosos auxílios. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Ap 22, 1-7)


Leitura do Livro do Apocalipse de São João


A mim, João, 1o anjo do Senhor mostrou-me um rio de água viva, o qual brilhava como cristal. O rio brotava do trono de Deus e do Cordeiro. 2No meio da praça, de cada lado do rio, estão plantadas árvores da vida; elas dão frutos doze vezes por ano; em cada mês elas dão fruto; suas folhas servem para curar as nações. 3Já não haverá maldição alguma. Na cidade estará o trono de Deus e do Cordeiro e seus servos poderão prestar-lhe culto. 4Verão a sua face e o seu nome estará sobre suas frontes. 5Não haverá mais noite: não se precisará mais da luz da lâmpada, nem da luz do sol, porque o Senhor Deus vai brilhar sobre eles e eles reinarão por toda a eternidade. 6Então o anjo disse-me: “Estas palavras são dignas de fé e verdadeiras, pois o Senhor, o Deus que inspira os profetas, enviou o seu Anjo, para mostrar aos seus servos o que deve acontecer muito em breve. 7Eis que eu venho em breve. Feliz aquele que observa as palavras da profecia deste livro”.

Salmo Responsorial (Sl 94)


R. Amém! Vem, ó Senhor Jesus! Amém!


— Vinde, exultemos de alegria no Senhor, aclamemos o Rochedo que nos salva! Ao seu encontro caminhemos com louvores, e com cantos de alegria o celebremos! R.

— Na verdade, o Senhor é o grande Deus, o grande Rei, muito maior que os deuses todos. Tem nas mãos as profundezas dos abismos, e as alturas das montanhas lhe pertencem; o mar é dele, pois foi ele quem o fez, e a terra firme suas mãos a modelaram. R.

— Vinde adoremos e prostremo-nos por terra, e ajoelhemos ante o Deus que nos criou! Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor, e nós somos o seu povo e seu rebanho, as ovelhas que conduz com sua mão. R.

 


Aclamação ao Evangelho

R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Vigiai e orai para ficardes de pé, ante o Filho do Homem! (Lc 21, 36) R.

Evangelho (Lc 21, 34-36)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Lucas 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 34“Tomai cuidado para que vossos corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida, e esse dia não caia de repente sobre vós; 35pois esse dia cairá como uma armadilha sobre todos os habitantes de toda a terra.

36Portanto, ficai atentos e orai a todo momento, a fim de terdes força para escapar a tudo o que deve acontecer e para ficardes de pé diante do Filho do Homem”.

Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Deus, estes dons que nos mandastes consagrar em vossa honra e, para que eles nos tornem agradáveis aos vossos olhos, dai-nos guardar sempre os vossos mandamentos. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes; povos todos, festejai-o! Pois comprovado é seu amor para conosco, para sempre ele é fiel! (Sl 116, 1-2)

Ou:


Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos, diz o Senhor. (Mt 28, 20)

Depois da Comunhão

Fazei, ó Deus todo-poderoso, que nunca nos separemos de vós, pois nos concedeis a alegria de participar da vossa vida. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 28/11/2020
Fiquemos atentos com os excessos e as preocupações com a vida

“Tomai cuidado para que vossos corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida, e esse dia não caia de repente sobre vós” (Lucas 21,34).

Aquilo que Jesus, o Mestre, está nos ensinando hoje é uma advertência para todos nós, porque o nosso coração corre o risco de perder a sensibilidade pelo que é essencial, a sensibilidade pelo que é espiritual, perder a sensibilidade da graça.

Quando perdemos a sensibilidade, tornamo-nos perdidos no mundo, deixamo-nos levar pela insensatez do coração. Aqui há três coisas para as quais Jesus nos chama a atenção, realidades que roubam a sensatez do nosso ser, e o primeira delas é a gula.

Sabemos da importância dos alimentos, o quanto é importante comer, alimentar-se, mas também precisamos saber o quanto é importante saber jejuar, abster-se, não se deixar levar pelo excesso do comer. O excesso de comida, a gula, a preocupação só pelo que comer nos deixa pesados, não só corporal e fisicamente falando, mas a cabeça também. Não pensamos tão bem, não mantemos a vigilância necessária quando nos entregamos para o excesso no comer. Não nos deixemos levar pelas facilidades do comer, que roubam nossa sensatez interior.

Que Jesus nos livre do excesso do comer, do beber e das preocupações com a vida

O outro cuidado fundamental é com a embriaguez, e aqui sabemos todas as temeridades que a embriaguez provoca no meio de nós. Quantas pessoas estão sendo escravizadas por causa do alcoolismo, o quanto o alcoolismo exerce poder em pais de família, em jovens, homens e mulheres. Alguns acham bonito passar o dia inteiro bebendo, mas quanta coisa insensata acontece por causa do alcoolismo!

É Jesus quem está nos advertindo. Estou vendo famílias se perderem, estou vendo casamentos se perderem, estou vendo inimizades acontecendo, mas o mais duro é ver a vida humana se perder por causa da embriaguez. A pessoa perde, de fato, a sensatez, porque o álcool rouba dela até a sua capacidade de raciocínio. Não seja orgulhoso nem soberbo, porque o álcool domina o coração de muitos que se deixam escravizar por ele.

Tão perigoso quanto o excesso de comida e bebida é quem vive nas preocupações excessivas com a vida, porque é uma outra droga (desculpe-me dizer assim).

Há pessoas que vivem focadas nos seus problemas, nas coisas da vida, e não vivem com leveza, ainda que muita coisa seja pesada. Desculpe, mas desde quando preocupação traz paz ao coração? Desde quando preocupação traz solução ou luz sensata para a realidade?

A preocupação rouba a nossa fé, tira-nos da confiança em Deus e nos mantêm de uma forma tantas vezes tomados por doenças e enfermidades emocionais. Quanta ansiedade, depressão, quanta opressão espiritual e psicológica porque nos entregamos para as preocupações excessivas com a vida.

Jesus nos quer livres e libertos. Que Ele nos livre do excesso do comer, do beber e das preocupações com a vida.

Deus abençoe você!  

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco

Aridez espiritual ou dispersão carnal?

Para ser alma de oração, é preciso ter sobriedade. Não porque seja preciso rezar pouco, mas porque é necessário abster-se de muito para começar a rezar direito. Pois quem se entrega aos prazeres e cuidados da carne, mesmo que sejam lícitos, termina de coração insensível e alma embotada. Assim, o que muitos pensam ser “aridez espiritual” não passa às vezes do salário, lógico e justo, de uma vida bem pouco espiritualizada. Assista à homilia do Pe. Paulo Ricardo para este sábado, dia 28 de novembro, e medite conosco mais uma página do santo Evangelho.




Santo do dia 28/11/2020

São Tiago da Marca

O santo de hoje morreu dizendo "Jesus, Maria, bendita Paixão de Jesus", isto porque sua vida toda foi dedicada para a causa do Evangelho. Tiago da Marca nasceu no ano 1391 numa aldeia da Marca de Ancona, Itália. Recebeu no Batismo o nome de Domingos. Tendo morrido seu pai e sua mãe, ficou aos cuidados de um homem rico que o encaminhou para trabalhos administrativos. Desta forma, São Tiago conheceu a iniquidade do mundo, tomando a decisão de se retirar para um convento.

Quando despertou para a vocação à vida Consagrada, São Tiago pensou em entrar para os Cartuxos, mas ao viajar para Babiena, na Toscana, ficou tão edificado com os diálogos que travou com os franciscanos, que resolveu entrar para a Família de São Francisco de Assis. Recebeu o hábito, tomando o nome de Tiago, no Convento de Nossa Senhora dos Anjos, perto de Assis, onde, pouco tempo depois, fez profissão.

Dormia apenas três horas por noite; e passava o restante da noite na meditação das coisas celestes. Nunca comia carne, jejuava inviolavelmente as sete quaresmas de S. Francisco. Todos os dias se disciplinava com rigor. A única pena que sentia era não poder dedicar-se à pregação, único emprego que desejava na sua Ordem. Para conseguir o que tanto desejava, foi a Nossa Senhora do Loreto, celebrou a Santa Missa e, depois da consagração, a Santíssima Virgem apareceu-lhe a dizer que a sua oração tinha sido ouvida.

Começou a pregar com tanto fervor que nunca subia ao púlpito sem tocar os corações mais endurecidos, fazendo muitas conversões miraculosas. Foi associado a São João Capistrano para pregar a Cruzada contra os turcos que, tendo-se apoderado de Constantinopla, enchiam de terror toda a cristandade. Foi tal o seu zelo por esta ocasião que se lhe pode atribuir em grande parte o sucesso desta gloriosa empreitada.

Como sacerdote dedicou-se nas pregações populares onde, de modo simples, vivo e eficaz, evangelizava e espalhava a Sã Doutrina Católica em diversas regiões da Europa. São Tiago anunciava, mas também denunciava toda opressão social, pois os negociantes e mercadores tiranizavam o povo com empréstimos de juros sem fim, por causa disso o santo fundou os bancos populares que emprestavam com juros mínimos. Por fim, São Tiago se instalou em Nápoles onde teve a revelação que aí terminaria seus dias, como de fato aconteceu a 28 de novembro de 1476, isto depois de ser atingido por uma doença mortal. Foi canonizado em 1726 pelo Papa Bento XIII.

São Tiago da Marca, rogai por nós!