Antífona de Entrada:
Deus habita em seu templo santo, reúne seus filhos em sua casa; é ele que dá força e poder a seu povo (Sl 67,6s.36)

Oração do Dia:
Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Primeira Leitura (Jr 18,1-6)


Leitura do Livro do Profeta Jeremias.

1Palavra dirigida a Jeremias, da parte do Senhor: 2“Levanta-te e vai à casa do oleiro, e ali te farei ouvir minhas palavras”. 3Fui à casa do oleiro, e eis que ele estava trabalhando ao torno; 4quando o vaso que moldava com barro se avariava em suas mãos, ei-lo de novo a fazer com esse material um outro vaso, conforme melhor lhe parecesse aos olhos. 5Fez-se em mim a palavra do Senhor: 6“Acaso não posso fazer convosco como este oleiro, casa de Israel? Diz o Senhor. Como é o barro na mão do oleiro, assim sois vós em minha mão, casa de Israel”.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 145)


R. Feliz quem se apoia no Deus de Jacó!


— Bendize, minh’alma, ao Senhor! Bendirei ao Senhor toda a vida, cantarei ao meu Deus sem cessar! R.

— Não ponhais vossa fé nos que mandam, não há homem que possa salvar. Ao faltar-lhe o respiro ele volta para a terra de onde saiu; nesse dia seus planos perecem. R.

— É feliz todo homem que busca seu auxílio no Deus de Jacó, e que põe no Senhor a esperança. O Senhor fez o céu e a terra, fez o mar e o que neles existe. R.


R. Aleluia, aleluia, aleluia.
V. Abre-nos, ó Senhor, o coração, para ouvirmos a palavra de Jesus! (At 16,14)


Evangelho (Mt 13,47-53)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Mateus. 

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 47“O Reino dos Céus é ainda como uma rede lançada ao mar e que apanha peixes de todo tipo. 48Quando está cheia, os pescadores puxam a rede para a praia, sentam-se e recolhem os peixes bons em cestos e jogam fora os que não prestam. 49Assim acontecerá no fim dos tempos: os anjos virão para separar os homens maus dos que são justos, 50e lançarão os maus na fornalha de fogo. E aí, haverá choro e ranger de dentes. 51Compreendestes tudo isso?” Eles responderam: “Sim”. 52Então Jesus acrescentou: “Assim, pois, todo mestre da Lei, que se torna discípulo do Reino dos Céus, é como um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e velhas”. 53Quando Jesus terminou de contar essas parábolas, partiu dali.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: O Reino de Deus faz de nós peixes de boa qualidade

“Assim acontecerá no fim dos tempos: os anjos virão para separar os homens maus dos que são justos, e lançarão os maus na fornalha de fogo” (Mateus 13,49-50).

Jesus está, hoje, dando-nos parábolas, mais uma vez, para nos explicar o Reino dos Céus. É claro que a primeira delas: uma rede lançada ao mar, que apanha peixes de todos os tipos, é para dizer que o Reino dos Céus é, justamente, essa rede que pega homens de todas as espécies e maneiras: pecador como eu, mal-humorado como aquele, um outro que tem uma vida machucada, um outro que já nasceu na Igreja, um outro que nunca quis saber de Deus... Ele não faz distinção de pessoas. 

Deus não fica olhando e dizendo: “Só aquele peixe que é bom”. Ele não é seletivo como nós; pelo contrário, Deus é eletivo, é Aquele que elege todos para fazer parte do Seu Reino. Apenas é preciso que o peixe, mesmo que possa parecer um pouco estragado pelas circunstâncias da vida, deixe-se tratar por Deus.

Assim como estamos permitindo que Deus nos trate, que Ele cuide de nós, que nos ame e faça acontecer, é preciso que tenhamos a mesma compaixão para com todos. Que não julguemos, não condenemos, mas, pelo contrário, permitamos que a ação de Deus aconteça em nós.

O Reino de Deus é o lugar que trata de cada um de nós para que possamos ser peixes de boa qualidade

No final dos tempos, os anjos de Deus irão separar aquilo que é mau daquilo que é bom, o que é justo do que não é justo. O tempo da graça é esse, é tempo de nos convertermos. Pode parecer por fora, somente pelas escamas, que somos um peixe bom, mas não estamos vendo as coisas estragadas, injustas e malignas que estão em nós. Por isso, o Reino de Deus é aquele que acolhe a todos, mas é o lugar que trata de cada um de nós, para que possamos ser peixes de boa qualidade.

Se o Reino dos Céus é como um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e velhas, nós também temos que tirar as coisas novas para colocar para fora as virtudes, os valores e, ao mesmo tempo, repelir aquilo que é velho e não é de Deus, para que o que é d'Ele esteja acontecendo em nós.

Tire o que é velho e estragado, tire aquilo que não é a Palavra de Deus da nossa vida, para que possamos dar bons frutos de conversão.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Seremos peixes estragados?

À rede mística da Igreja todos podem ter acesso, sejam bons e maus, pois Deus quer que todos os homens se salvem. Nem todos, porém, parecem querer salvar-se, e para estes, infelizmente, não há outro remédio além da justíssima sentença que paira sobre os que desperdiçam este tempo de misericórdia. Sim, a condenação é, para todos nós, uma possibilidade real e, para alguns, uma triste realidade, não porque Deus não seja bom e paciente, mas porque há loucos que se obstinam na maldade e na impenitência. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quinta-feira, dia 30 de julho, e meditemos juntos a parábola da rede lançada ao mar.





Santo do Dia:

São Pedro Crisólogo

O santo deste dia nasceu em Ímola, na Itália, no ano de 380 e aproveitou sua vida, gastando-se totalmente pelo Evangelho, a ponto de ser reconhecido pela Igreja como Doutor da Igreja (isto se deu em 1729, pelo Papa Bento XIII).

São Pedro Crisólogo tinha este nome por ter se destacado principalmente pelo dom da pregação - Crisólogo significa 'O homem da palavra de ouro' (este cognome lhe foi dado a partir do séc IX).

Diante da morte do bispo de Ravena, o escolhido para substituí-lo foi Pedro, que neste tempo vivia num convento, aonde queria oferecer-se como vítima no silêncio; mas os planos do Senhor fizeram dele bispo.

Pastor prudente e zeloso da Igreja usou do dom da pregação como instrumento do Espírito para a conversão de pagãos, hereges e cristãos indiferentes na vivência da própria fé.

São Pedro Crisólogo, com o seu testemunho de santidade, conhecimento das ciências teológicas e dom de comunicação venceu a heresia do Monofisismo, a qual afirmava Jesus ter apenas uma só natureza, e não a misteriosa união da natureza divina e humana como o próprio nos revelou.

Um homem que tinha o pecado no coração, porém, Pedro lutou com as armas da oração, jejum e mortificações para assim desfrutar e transmitir pela Palavra o tesouro da graça, isto até entrar na Glória Celeste em 450.

São Pedro Crisólogo, rogai por nós!


Oração sobre as Oferendas:
Acolhei, ó Pai, os dons que recebemos da vossa bondade e trazemos a este altar. Fazei que estes sagrados mistérios, pela força da vossa graça, nos santifiquem na vida presente e nos conduzam à eterna alegria. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona de Comunhão:
Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não esqueças nenhum de seus favores! (Sl 102,2)

Oração depois da Comunhão:
Recebemos, ó Deus, este sacramento, memorial permanente da paixão do vosso filho; fazei que o dom da vossa inefável caridade possa servir à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.