Apoiadores do Pocket Terço
Terço com imagens no Youtube
Reze os Mistérios Gozosos com imagens

Memória Facultativa

Santa Maria no Sábado

Antífona de entrada

Ergamos os nossos olhos para aquele que tem o céu como trono; a multidão dos anjos o adora, cantando a uma só voz: Eis aquele cujo poder é eterno.
In excélso throno vidi sedére virum, quem adórat multitúdo angelórum, psalléntes in unum: ecce cujus impérii nomen est in aetérnum. Ps. Iubiláte Deo omnis terra: servíte Dómino in laetítia. (Cf. Dan. 7, 9. 10. 13. 14. et Is. 6, 1-3; ℣. Ps. 99)
Vernáculo:
Ergamos os nossos olhos para aquele que tem o céu como trono; a multidão dos anjos o adora, cantando a uma só voz: Eis aquele cujo poder é eterno. (Cf. MR)

Oração do dia

Ó Deus, atendei como pai às preces do vosso povo; dai-nos a compreensão dos nossos deveres e a força de cumpri-los. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (1Sm 9, 1-4. 17-19; 10, 1a)


Leitura do Primeiro Livro de Samuel


9, 1Havia um homem de Benjamin, chamado Cis, filho de Abiel, filho de Seror, filho de Becorat, filho de Afia, um benjaminita, homem forte e valente. 2Ele tinha um filho chamado Saul, de boa apresentação. Entre os filhos de Israel não havia outro melhor do que ele: dos ombros para cima sobressaía a todo o povo.

3Ora, aconteceu que se perderam umas jumentas de Cis, pai de Saul. E Cis disse a seu filho Saul: “Toma contigo um dos criados, põe-te a caminho e vai procurar as jumentas”. Eles atravessaram a montanha de Efraim 4e a região de Salisa, mas não as encontraram. Passaram também pela região de Salim, sem encontrar nada; e, ainda pela terra de Benjamim, sem resultado algum.

17Quando Samuel avistou Saul, o Senhor lhe disse: “Este é o homem de quem te falei. Ele reinará sobre o meu povo”. 18Saul aproximou-se de Samuel, na soleira da porta, e disse-lhe: “Peço-te que me informes onde é a casa do vidente”. 19Samuel respondeu a Saul: “Sou eu mesmo o vidente. Sobe na minha frente ao santuário da colina. Hoje comereis comigo, e amanhã de manhã te deixarei partir, depois de te ter revelado tudo o que tens no coração”.

10, 1aNa manhã seguinte, Samuel tomou um pequeno frasco de azeite, derramou-o sobre a cabeça de Saul e beijou-o, dizendo: “Com isto o Senhor te ungiu como chefe do seu povo, Israel. Tu governarás o povo do Senhor e o livrarás das mãos de seus inimigos, que estão ao seu redor”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 20)


℟. Ó Senhor, em vossa força o rei se alegra.


— Ó Senhor, em vossa força o rei se alegra; quanto exulta de alegria em vosso auxílio! O que sonhou seu coração, lhe concedestes; não recusastes os pedidos de seus lábios. ℟.

— Com bênção generosa o preparastes; de ouro puro coroastes sua fronte. A vida ele pediu e vós lhe destes, longos dias, vida longa pelos séculos. ℟.

— É grande a sua glória em vosso auxílio; de esplendor e majestade o revestistes. Transformastes o seu nome numa bênção, e o cobristes de alegria em vossa face. ℟.


https://youtu.be/wtddn6MeIn8
℟. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
℣. O Espírito do Senhor repousa sobre mim e enviou-me a anunciar aos pobres o Evangelho. (Lc 4, 18) ℟.

Evangelho (Mc 2, 13-17)


℣. O Senhor esteja convosco.

℟. Ele está no meio de nós.


℣. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Marcos 

℟. Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, 13Jesus saiu de novo para a beira mar. Toda a multidão ia ao seu encontro e Jesus os ensinava. 14Enquanto passava, Jesus viu Levi, o filho de Alfeu, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: “Segue-me!” Levi se levantou e o seguiu.

15E aconteceu que, estando à mesa na casa de Levi, muitos cobradores de impostos e pecadores também estavam à mesa com Jesus e seus discípulos. Com efeito, eram muitos os que o seguiam.

16Alguns doutores da Lei, que eram fariseus, viram que Jesus estava comendo com pecadores e cobradores de impostos. Então eles perguntaram aos discípulos: “Por que ele come com cobradores de impostos e pecadores?”

17Tendo ouvido, Jesus respondeu-lhes: “Não são as pessoas sadias que precisam de médico, mas as doentes. Eu não vim para chamar justos, mas sim pecadores”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Antífona do Ofertório

Iubiláte Deo omnis terra: iubiláte Deo omnis terra, servíte Dómino in laetítia: intráte in conspéctu eius in exsultatióne, quia Dóminus ipse est Deus. (Ps. 99, 1. 2)


Vernáculo:
Aclamai o Senhor, ó terra inteira, servi ao Senhor com alegria, ide a ele cantando jubilosos! (Cf. LH: Sl 99, 1. 2)

Sobre as Oferendas

Possa agradar-vos, ó Deus, a oferenda do vosso povo; que ela nos obtenha a santificação e o que confiastes vos pedimos. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

De vós, Senhor, brota a vida, na vossa luz veremos a luz. (Sl 35, 10)

Ou:

Eu vim para que tenham a vida e a tenham cada vez mais, diz o Senhor. (Jo 10, 10)
Notas mihi fecísti vias vitae: adimplébis me laetítia com vultu tuo, Dómine. (Ps. 15, 11; ℣. Ps. 15, 1. 2. 5. 6. 8. 9. 10)
Vernáculo:
Vós me ensinais vosso caminho para a vida; junto a vós, felicidade sem limites, delícia eterna e alegria ao vosso lado! (Cf. LH: Sl 15, 11)

Depois da Comunhão

Deus todo-poderoso, que refazeis as nossas forças pelos vossos sacramentos, nós suplicamos a graça de vos servir por uma vida que vos agrade. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 15/01/2022
A vida nova da graça

“Não são as pessoas sadias que precisam de médico, mas as doentes. Eu não vim para chamar justos, mas sim pecadores”. (Mc 2, 17).

No Evangelho de hoje, Jesus chama o pecador Levi (ou seja, S. Mateus), que era publicano e pecador público, à conversão e ao apostolado. É impressionante ver como Nosso Senhor é capaz de produzir a graça e enxergar os corações. Sim, Jesus é a própria graça de Deus que veio a esse mundo para doar-se. Ora, Deus, quando se doa, produz em nós uma transformação. Jesus entra hoje na vida de Levi inesperadamente, sem ser “convidado”, de forma completamente surpreendente, e no entanto Ele faz isso antevendo que aquele coração estava bem disposto para deixar a vida do pecado. Jesus, então, dá generosamente a Levi uma vida nova, e até mais do que isso. É importante recordar que, quando Deus nos chama à conversão, Ele não está nos chamando a uma vida “nova” como se trocássemos um sapato velho por um novo. Não, Ele nos dá uma vida “nova”, mas também qualitativamente superior. É como se — para usar uma comparação ridícula —Ele dissesse assim: “Eu tiro teus sapatos velhos e dou-te um veículo novo. Agora tu podes andar de avião”. É algo novo, mas de uma natureza completamente diferente; não é a simples substituição do sapato velho por um novo, mas por algo muito superior e mais elevado. Jesus veio nos dar a vida divina; portanto, quando nos perdoa os nossos pecados, Ele não se limita a restaurar a nossa natureza, no sentido de curá-la pelo que chamamos, em teologia, de graça sanante; Ele também a eleva e nos torna capazes do sobrenatural, do divino, isto é, de viver a vida do próprio Deus. É o que, em teologia, chamamos de graça elevante. Jesus, ao se apresentar e entrar na vida de Mateus, toma nas mãos a vida de Mateus e a eleva a uma vida nova, superior, divina. É isso o que Jesus faz ou, pelo menos, quer fazer conosco. Se não estivermos em estado de graça; se estivermos no pecado por ainda não sermos batizados ou por, depois do batismo, termos caído em pecado mortal e precisarmos nos confessar, saibamos que aquilo que o Batismo e a Confissão fazem conosco não é simplesmente — por assim dizer — um “ato jurídico”, como se alguém assinasse uma apólice de quitação ou coisa que o valha, para que não devêssemos mais nada. Não é somente isso. É isso também, mas é, principalmente, ser introduzido numa vida nova, na vida eterna, que S. João costuma chamar em grego de ζωή, a vida de Deus, da qual não somos capazes por nós mesmos. Tampouco a nossa natureza já restaurada teria por si só a capacidade de viver a vida de Deus, e é por isso que Jesus nos eleva, nos eleva para muito mais. Que maravilha ver Jesus convidar a nós, pobres pecadores, para viver no palácio real do seu Pai, para viver a vida divina que Ele preparou para nós no céu!

Deus abençoe você!

Seja um apoiador!
Ajude-nos a manter o Pocket Terço: pocketterco.com.br/ajude

Homilia Diária | O cristão deve ser tolerante? (Sábado da 1.ª Semana do Tempo Comum)

A Igreja nos propõe hoje na Liturgia uma página do Evangelho que muita gente, às vezes por ignorância, quase sempre por malícia, distorce e reinterpreta, vendo nela uma justificativa para permanecer em pecado e adiar a própria conversão. Jesus, dizem, tratava com todo tipo de pessoas, ia à casa de publicanos, sentava-se à mesa com ladrões, falava em público com prostitutas… não porque fossem eles doentes precisando de remédio, mas porque era Ele tão tolerante, tão acolhedor, tão compassivo, que o pecado deixou de ser coisa séria, se é que significa realmente alguma coisa.Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para este sábado, dia 15 de janeiro, e medite conosco sobre a tolerância que se deve ao pecador e a intolerância radical com que devemos tratar sempre o pecado, nosso e alheio.


https://youtu.be/zIcG4-kxNKE

Santo do dia 15/01/2022


São João Calibita (Memória Facultativa)
Local: Constantinopla, Turquia
Data: 15 de Janeiro † s. V


Era João filho de um rico senhor de Constantinopla, chamado Eutrópio. Em tenra idade ainda, abandonou a casa paterna, para ir viver entre ferventes religiosos. Seis anos depois, voltou a Constantinopla, revestido dos andrajos de pobre. Escolheu por morada um pequeno recinto situado na vizinhança da casa dos pais, que o nutriam, sem saber quem era, e desse pequeno recinto, chamado em grego Calibê, foi que lhe adveio o cognome de Calibita. Gênero de vida tão extraordinário foi santificado por uma prece constante, e pela prática da doçura, da humildade, da paciência e da mortificação. Só na agonia é que o santo se deu a conhecer à mãe.

Morreu em 450, e foi sepultado no recinto, como havia pedido. Em seguida, construíram seus pais magnífica igreja sobre o túmulo.

Referência:
ROHRBACHER, Padre. Vida dos santos: Volume I. São Paulo: Editora das Américas, 1959. Edição atualizada por Jannart Moutinho Ribeiro; sob a supervisão do Prof. A. Della Nina. Adaptações: Equipe Pocket Terço. Disponível em: obrascatolicas.com. Acesso em: 31 dez. 2021.