Apoiadores do Pocket Terço
Terço com imagens no Youtube
Reze os Mistérios Gozosos com imagens

Antífona de entrada

O Senhor o escolheu para a plenitude do sacerdócio e, abrindo seus tesouros, o cumulou de bens.

Oração do dia

Ó Deus, que para defender a fé católica e restaurar todas as coisas em Cristo, cumulastes o papa São Pio X de sabedoria divina e coragem apostólica, fazei-nos alcançar o prêmio eterno, dóceis às suas instruções e seus exemplos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Rt 2, 1-3. 8-11; 4, 13-17)


Leitura do Livro de Rute


1Noemi tinha um parente por parte do marido, homem poderoso e muito rico, da família de Elimelec, chamado Booz. 2Rute, a moabita, disse à sua sogra: “Permite que eu vá ao campo apanhar espigas, onde possa encontrar quem se mostre clemente para comigo”. Noemi respondeu: “Vai, minha filha”. 3Rute foi, pois, colher espigas num campo atrás dos ceifeiros. Aconteceu que aquele era justamente o campo de Booz, parente de Elimelec. 8E Booz disse a Rute: “Ouve, minha filha, não vás apanhar espigas em outro campo, e não te afastes daqui, mas junta-te às minhas servas. 9Observa onde estão ceifando e vai atrás delas; pois ordenei aos meus servos que ninguém te moleste. Quando tiveres sede, vai aos cântaros e bebe da água de que bebem os meus servos”. 10Então Rute, caindo-lhe aos pés, inclinou-se profundamente e disse: “Como pude encontrar graça a teus olhos, e te dignaste fazer caso de mim, uma mulher estrangeira?” 11Respondeu-lhe Booz: “Contaram-me tudo o que fizeste por tua sogra, depois da morte de teu marido: como deixaste teus pais e a terra onde nasceste, e vieste para um povo que antes não conhecias”,

4, 13Então Booz tomou Rute e recebeu-a como esposa. Uniu-se a ela e o Senhor concedeu-lhe a graça de conceber e dar à luz um filho. 14As mulheres diziam a Noemi: “Bendito seja o Senhor, que não permitiu que faltasse um sucessor à tua família e quis que o seu nome se conservasse em Israel, 15para que tenhas quem console a tua alma e te sustente na velhice, porque nasceu um menino de tua nora, que te ama e é para ti melhor que sete filhos”. 16E Noemi tomou o menino, colocou-o no colo, e serviu-lhe de ama. 17As vizinhas congratulavam-se com ela, dizendo: “Nasceu um filho a Noemi”, e deram-lhe o nome de Obed. Ele foi o pai de Jessé, pai de Davi.

Salmo Responsorial (Sl 127)


R. Será assim abençoado todo aquele que respeita o Senhor.


— Feliz és tu se temes o Senhor e trilhas seus caminhos! Do trabalho de tuas mãos hás de viver, serás feliz, tudo irá bem! R.

— A tua esposa é uma videira bem fecunda no coração da tua casa; os teus filhos são rebentos de oliveira ao redor de tua mesa. R.

— Será assim abençoado todo homem que teme o Senhor. O Senhor te abençoe de Sião, cada dia de tua vida. R.


R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Vós tendes um só Pai, que está no céu, vosso Guia é um somente, é o Messias. (Mt 23, 9b. 10b) R.

Evangelho (Mt 23, 1-12)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Mateus 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, 1Jesus falou às multidões e aos seus discípulos: 2“Os mestres da Lei e os fariseus têm autoridade para interpretar a Lei de Moisés. 3Por isso, deveis fazer e observar tudo o que eles dizem. Mas não imiteis suas ações! Pois eles falam e não praticam. 4Amarram pesados fardos e os colocam nos ombros dos outros, mas eles mesmos não estão dispostos a movê-los, nem sequer com um dedo. 5Fazem todas as suas ações só para serem vistos pelos outros. Eles usam faixas largas, com trechos da Escritura, na testa e nos braços, e põem na roupa longas franjas. 6Gostam de lugar de honra nos banquetes e dos primeiros lugares nas sinagogas. 7Gostam de ser cumprimentados nas praças públicas e de serem chamados de Mestre.

8Quanto a vós, nunca vos deixeis chamar de Mestre, pois um só é vosso Mestre e todos vós sois irmãos. 9Na terra, não chameis a ninguém de pai, pois um só é vosso Pai, aquele que está nos céus. 10Não deixeis que vos chamem de guias, pois um só é o vosso Guia, Cristo. 11Pelo contrário, o maior dentre vós deve ser aquele que vos serve. 12Quem se exaltar será humilhado, e quem se humilhar será exaltado”.

Sobre as Oferendas

Ó Deus, acolhei com bondade as nossas oferendas e dai-nos seguir os ensinamentos de São Pio X, para celebrar dignamente estes divinos mistérios, e recebê-los com fé. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

O bom pastor dá a vida por suas ovelhas. (Cf. Jo 10, 11)

Depois da Comunhão

Celebrando a memória do papa São Pio X, nós vos pedimos, ó Deus, que a participação na vossa mesa nos torne firmes na fé e unidos na caridade. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 21/08/2021
O humilhado é sempre exaltado pela sabedoria de Deus

“Pelo contrário, o maior dentre vós deve ser aquele que vos serve. Quem se exaltar será humilhado, e quem se humilhar será exaltado” (Mateus 23,11-12).

Jesus está ensinando aos Seus discípulos e a nós também, nos dias de hoje, a termos cuidado com os mestres da Lei e com os fariseus e, a sobretudo, observarmos a nossa própria vida, para que não nos tornemos um mestre da Lei e um fariseu na vivência religiosa.

É importante dizer que os mestres da Lei e os fariseus eram as grandes referências religiosas na época de Jesus. Os mestres da Lei eram mestres da Lei porque conheciam a Lei, porque estudavam e tinham autoridade sobre ela. Os fariseus eram aqueles que tinham uma observância estrita da Lei Divina, observavam até mais que os outros. E Jesus está nos dizendo que eles não servem de referência nem de exemplo, porque eles falam, mas não fazem; eles ensinam, mas não praticam; eles cobram dos outros, mas não cobram de si mesmos; ou seja, eles não têm autoridade.

Até escutem eles, mas não façam o que eles fazem; o que eles ensinam sobre a Lei não é mentira, a Palavra de Deus é essa, mas se eles não dão exemplo, não siga o mau exemplo deles. Isto é, mais do que nunca, pertinente para os tempos em que vivemos.


Quem se exalta, será humilhado pela vida, mais humilhado, inclusive, pelo julgamento de Deus

É preciso dizer que, muitas vezes, até nós, que estamos ensinando a Palavra de Deus, precisamos realmente nos revermos, porque não basta ensinar, é preciso viver o que se ensina; não basta falar, é preciso primeiro viver o que se fala, porque senão cairemos na grande contradição da vida religiosa. São religiões que muito cobram e pouco na prática vivem, são autoridades religiosas que são boas para falar, para gritar, para exigir dos outros, mas pouco exigem de si mesmas.

Que a Palavra de Deus nos ensine a não sermos guias cegos, mas sermos guias da luz; e, para isso, precisamos viver na luz e na graça.

A primeira coisa que precisamos aprender é não sermos grandes, é não querermos ser importantes, é não querermos ser donos da verdade porque começamos a cair em contradição quando nos sentimos senhores do bem e do mal. Quando pegamos para nós a autoridade da verdade, achamos que sabemos tudo, que podemos tudo, que só passa pelo meu critério, que só a minha verdade é a verdade.

Cuidado! Aquele que se sente grande, se torne menor; aquele que acha que sabe tudo, procure ser aquele que mais deve aprender. A grande lição da vida é sabermos aprender, inclusive, com os pequenos.

Quem se exalta, será humilhado pela vida, mais humilhado, inclusive, pelo julgamento de Deus. Procure humilhar o próprio coração, a própria sabedoria e a própria razão que se sente maior do que todos, porque quem se humilha será sempre exaltado pela sabedoria de Deus.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador!
Ajude-nos a manter o Pocket Terço: apoia.se/pocketterco

O Papa que combateu o modernismo

No início do século passado, o Papa São Pio X combateu sem descanso um conjunto de heresias que, travestidas com outras roupagens, permanecem vivas até hoje. Trata-se do modernismo, para o qual a Igreja não deve ser docente, pois o seu papel não seria evangelizar o mundo, mas aprender dele, nem missionária, porque a cultura e os modismos de cada tempo é que deveriam iluminar os cristãos, e não o contrário. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para este sábado, 21 de agosto, e peçamos a Deus que envie à sua Igreja pastores dispostos a tudo para preservar intacta a pureza do Evangelho.


https://youtu.be/914OZrE6JpE

Santo do dia 21/08/2021


São Pio X (Memória)
Local: Roma, Itália
Data: 21 de Agosto † 1914


Pio X é um santo dos tempos atuais, ou seja, da primeira metade do século XX. Nasceu em 1837, em Riese, no norte da Itália, diocese de Treviso, com o nome de José Sarto.

Pertencia a uma família pobre e humilde, mas de intensa vivência espiritual. José Sarto ingressou nas fileiras eclesiásticas, chegando a galgar todos os postos, desde vigário cooperador, hoje diríamos vigário paroquial, numa pequena aldela, pároco de uma importante paróquia, cônego da catedral de Treviso, bispo da diocese de Mântua; cardeal de Veneza e, por fim, papa. Desta forma ele adquiriu uma enorme experiência pastoral.

Era cardeal-patriarca de Veneza, quando em 1903 foi escolhido para suceder o sábio papa Leão XIII. Tomando o nome de Pio X, José Sarto continuou no Vaticano sua vida de simplicidade, modéstia e pobreza, como quando simples pároco. Mas sua perspicácia pastoral abalou o mundo. Adotou como lema: "Restaurar todas as coisas em Cristo".

Ao contrário de Leo XIII, que procurou dialogar com as ideias políticas e sociais do século XIX, Pio X será preponderantemente um pastor, mais voltado para a pastoral e o incremento da vida eclesiástica e cristã.

Dois meses após sua eleição, publicou sua primeira encíclica, com o programa do seu pontificado. Logo no início do seu pontificado, nomeou uma comissão para codificar o Direito Canônico, que foi publicado em 1917. Era o Código do Direito Canônico. Reorganizou as Congregações romanas da Cúria papal.

Sua preocupação pastoral levou-o a acolher e fomentar o Movimento Litúrgico, que sob o seu pontificado tomou novo vigor. Vem de Pio X a insistência sobre a importância da participação ativa de todos os fiéis na Liturgia, principio que perpassa toda a reforma da Liturgia decretada pelo Concilio Vaticano II. Promoveu a comunhão frequente, incentivando também a comunhão das crianças. Cuidou da formação dos sacerdotes, mandou elaborar um novo Catecismo, favoreceu o movimento bíblico, promoveu a reforma litúrgica, sobretudo, do Ofício Divino para o Clero, e do canto sacro. Realizou profundas reformas na Liturgia que marcariam um dos grandes progressos da espiritualidade do nosso tempo. Além dos problemas externos que muito o fizeram sofrer, sobretudo a politica religiosa do governo francês, Pio X não sofreu menos com o modernismo que, levado pelo pensamento moderno, feria parcialmente o caráter sobrenatural do catolicismo. Ele enfrentou o movimento com rara energia, condenando suas doutrinas numa encíclica especial em 1907, e exigindo, daí por diante, que o clero antes de assumir qualquer cargo fizesse o juramento antimodernista. Historiadores há que têm apreciado negativamente certos aspectos da luta de Pio X contra o modernismo, sobretudo a sua tendência de ver heresia modernista em tudo.

Ele não foi um teólogo, foi sim um pastor dedicado e sobretudo um verdadeiro santo, extremamente devoto, mas simples e sem ostentação. Pode-se afirmar até que foi um precursor das reformas na Igreja realizadas pelo Concílio Vaticano II.

Prevendo a iminência da primeira grande guerra que procurou esconjurar de todos os meios, amargurado, veio a falecer no dia 20 de agosto de 1914, com 79 anos de idade. Foi canonizado por Pio XII em 1954.

O que está escrito na lápide do seu sepulcro resume bem a sua vida: Pio X, pobre e rico, suave e humilde, de coração forte, lutador em prol dos direitos da Igreja, esforçado na tarefa de restaurar em Cristo todas as coisas.

A Oração coleta o apresenta como defensor da fé católica e restaurador de todas as coisas em Cristo. Deus o cumulou de sabedoria divina e de coragem apostólica na realização desta sua missão na Igreja. Na Oração sobre as oferendas se pede a graça de seguir os ensinamentos de São Pio X para celebrar dignamente os mistérios divinos. Trata-se de uma alusão ao que Pio X fez em favor da Liturgia e particularmente da participação ativa na Eucaristia, mormente quanto à Comunhão frequente e a comunhão das crianças. A Oração depois da Comunhão volta ainda a insistir na firmeza na fé e a união na caridade, preocupações do zelo pastoral do santo comemorado.

Podemos, pois, realçar três aspectos na missão do papa São Pio X: a defesa da fé cristã, o zelo pastoral e a vida litúrgica, que deve levar sempre mais à perfeição da caridade.

Referência:
BECKHÄUSER, Frei Alberto. Os Santos na Liturgia: testemunhas de Cristo. Petrópolis: Vozes, 2013. 391 p. Adaptações: Equipe Pocket Terço.