Antífona de entrada

Deus habita em seu templo santo, reúne seus filhos em sua casa; é ele que dá força e poder a seu povo. (Sl 67, 6-7. 36)

Oração do dia

Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Diz-se o Glória.

Primeira Leitura (2Rs 4, 42-44)


Leitura do Segundo Livro dos Reis


Naqueles dias, 42veio também um homem de Baal-Salisa, trazendo em seu alforje para Eliseu, o homem de Deus, pães dos primeiros frutos da terra: eram vinte pães de cevada e trigo novo. E Eliseu disse: “Dá ao povo para que coma”.

43Mas o seu servo respondeu-lhe: “Como vou distribuir tão pouco para cem pessoas?” Eliseu disse outra vez: “Dá ao povo para que coma; pois assim diz o Senhor: ‘Comerão e ainda sobrará’”.

44O homem distribuiu e ainda sobrou, conforme a palavra do Senhor.

Salmo Responsorial (Sl 144)


R. Saciai os vossos filhos, ó Senhor!


— Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, e os vossos santos com louvores vos bendigam! Narrem a glória e o esplendor do vosso reino e saibam proclamar vosso poder! R.

— Todos os olhos, ó Senhor, em vós esperam e vós lhes dais no tempo certo o alimento; vós abris a vossa mão prodigamente e saciais todo ser vivo com fartura. R.

— É justo o Senhor em seus caminhos, é santo em toda obra que ele faz. Ele está perto da pessoa que o invoca, de todo aquele que o invoca lealmente. R.


Segunda Leitura (Ef 4, 1-6)


Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios


Irmãos: 1Eu, prisioneiro no Senhor, vos exorto a caminhardes de acordo com a vocação que recebestes: 2com toda a humildade e mansidão, suportai-vos uns aos outros com paciência, no amor.

3Aplicai-vos a guardar a unidade do espírito pelo vínculo da paz. 4Há um só Corpo e um só Espírito, como também é uma só a esperança à qual fostes chamados.

5Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, 6um só Deus e Pai de todos, que reina sobre todos, age por meio de todos e permanece em todos.

R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Um grande profeta surgiu, surgiu e entre nós se mostrou; é Deus que seu povo visita, seu povo, meu Deus visitou! (Lc 7, 16) R.

Evangelho (Jo 6, 1-15)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo João 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, 1Jesus foi para o outro lado do mar da Galileia, também chamado de Tiberíades.

2Uma grande multidão o seguia, porque via os sinais que ele operava a favor dos doentes. 3Jesus subiu ao monte e sentou-se aí, com os seus discípulos. 4Estava próxima a Páscoa, a festa dos judeus.

5Levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão estava vindo ao seu encontro, Jesus disse a Filipe: “Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?” 6Disse isso para pô-lo à prova, pois ele mesmo sabia muito bem o que ia fazer.

7Filipe respondeu: “Nem duzentas moedas de prata bastariam para dar um pedaço de pão a cada um”.

8Um dos discípulos, André, o irmão de Simão Pedro, disse: 9“Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes. Mas o que é isso para tanta gente?”

10Jesus disse: “Fazei sentar as pessoas”. Havia muita relva naquele lugar, e lá se sentaram, aproximadamente, cinco mil homens.

11Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu-os aos que estavam sentados, tanto quanto queriam. E fez o mesmo com os peixes.

12Quando todos ficaram satisfeitos, Jesus disse aos discípulos: “Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca!”

13Recolheram os pedaços e encheram doze cestos com as sobras dos cinco pães, deixadas pelos que haviam comido. 14Vendo o sinal que Jesus tinha realizado, aqueles homens exclamavam: “Este é verdadeiramente o Profeta, aquele que deve vir ao mundo”.

15Mas, quando notou que estavam querendo levá-lo para proclamá-lo rei, Jesus retirou-se de novo, sozinho, para o monte.

Diz-se o Creio.

Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Pai, os dons que recebemos da vossa bondade e trazemos a este altar. Fazei que estes sagrados mistérios, pela força da vossa graça, nos santifiquem na vida presente e nos conduzam à eterna alegria. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não esqueças nenhum de seus favores! (Sl 102, 2)

Ou:


Bem-aventurados os misericordiosos, porque obterão misericórdia. Bem-aventurados os corações puros, porque verão a Deus. (Mt 5, 7-8)

Depois da Comunhão

Recebemos, ó Deus, este sacramento, memorial permanente da paixão do vosso Filho; fazei que o dom da vossa inefável caridade possa servir à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 25/07/2021
Dividamos o pão que Deus multiplica em nossa mesa

“Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu-os aos que estavam sentados, tanto quanto queriam. E fez o mesmo com os peixes” (João 6,11).

Jesus é a Palavra viva no meio de nós, Jesus é o pão da Palavra que nos alimenta e que alimentou as multidões do Seu tempo. Ele continua nos alimentando e nos saciando, porque Ele é o Pão que desceu do Céu e veio alimentar a nossa fome de eternidade.

Como precisamos nos alimentar do pão da Palavra, e é por isso que as multidões se aproximavam de Jesus, as pessoas se aproximavam d'Ele porque Suas palavras tinham poder e autoridade, porque Jesus alimentava com o pão da Palavra. Mas é preciso ter os pés bem no chão, porque vivemos neste mundo e, neste mundo, onde pisamos no chão, precisamos do pão de cada dia para nos alimentar e nos sustentar.

Não podemos ser aquelas pessoas de uma espiritualidade desencarnada e achar que vivemos somente da Palavra. “Não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que vem da boca de Deus” (Mateus 4,4).


Precisamos saber dividir o pão que Deus multiplica em nossas mesas

Não é só da Palavra que vem da boca de Deus, precisamos nos alimentar todos os dias; e trabalhamos, inclusive, para ter o pão de cada dia dentro da nossa casa, para você sustentar seus filhos, sustentar a si mesmo, para ter forças para o trabalho. Então, nós precisamos levar o pão da Palavra para as pessoas, mas não podemos ser frios, indiferentes e inconsequentes com tantos que não têm o pão de cada dia para comer.

Aquelas multidões ouviram Jesus e Ele se preocupou com elas, Jesus se inquietou com elas; e Ele mesmo perguntou a Filipe: “Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?”.

Se eu não me preocupo com quem não tem o pão de cada dia, se não me preocupo com a fome das pessoas, é sinal de que estou sendo uma pessoa desumana. A minha espiritualidade é uma espiritualidade desencarnada e desumana, onde a pessoa humana não importa para mim. Não estamos tratando como anjos; os anjos estão no meio de nós, os anjos se saciam da presença de Deus. As pessoas humanas precisam se saciar de Deus e do pão de cada dia, do pão que não é meu, ele é nosso.

Por isso, rezamos a cada dia: “O pão nosso de cada dia nos dai hoje”. O nosso egoísmo humano transformou o alimento que era "nosso" em "meu", e cada um se preocupa com seu pão, com a sua comida. Até em casa, a mãe faz a comida mas, muitas vezes, como esfomeado, preocupado com a minha fome. E a comida não é para minha fome, é para a nossa fome, o alimento não é para eu comer, é para nós comermos.

Precisamos urgentemente saber multiplicar o pão que Deus nos dá, dividir o pão que Deus multiplica em nossas mesas.

É triste constatar que num domingo tenha tantas mesas fartas à custa de muitas mesas que falta tudo; falta o alimento, o sustento e o cuidado. Não vivamos uma espiritualidade desencarnada, pois há muitos passando fome no meio de nós. Precisamos ser como Cristo, preocupados com a fome e trabalhando para multiplicar pães, para que ninguém passe fome no mundo em que estamos.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco

Uma fome que só Deus pode saciar

Antes de realizar o portentoso milagre da multiplicação dos pães, mesmo sabendo “muito bem o que ia fazer”, Nosso Senhor pergunta a São Filipe: “Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?” A partir desta frase de Jesus, narrada no Evangelho deste domingo, Padre Paulo Ricardo reflete sobre a inquietude do ser humano, que muitas vezes ele tenta resolver com poder, fama e riquezas, quando, na verdade, só o “pão da vida” pode saciar a fome profunda que ele experimenta em seu coração.




Santo do dia 25/07/2021

 

 


São Tiago (Festa)
Local: Jerusalém
Data: 25 de Julho † s. I


Chamado o Maior, São Tiago, o filho de Zebedeu que Jesus chamou, com seu irmão o apóstolo São João, entre os primeiros que o seguiram. Acolhendo o convite do Mestre, deixou logo o barco e o pai, e tornou-se seu fiel discípulo (cf. Mt 4, 21-22). Foi testemunha privilegiada da ressurreição da filha de Jairo (Mc 5, 37), da transfiguração (Mt 17, 1), da agonia no Getsêmani (Mt 26, 37).

Lucas narra um fato que caracteriza bem a índole de Tiago com seu irmão João, que pedem que eles possam pedir que caia fogo do céu sobre a cidade que não quer receber Jesus (cf. Lc 9, 54). Depois deste episódio, Tiago e João foram apelidados de Boanerges, que quer dizer: filhos do trovão, que caracterizou bem seu temperamento impetuoso.

No Evangelho de Mateus conta-se mais um episódio relativo a este Apóstolo. Mostra como, a exemplo dos demais Apóstolos, teve dificuldade de entender o mistério da cruz. Sua mãe, em seu orgulho materno, pediu a Jesus que os próprios dois filhos, Tiago e João, fossem colocados um à direita e outro à esquerda, no reino de Deus. Parece que a mãe estava interpretando o desejo íntimo dos dois filhos, pois na resposta Jesus se dirige aos dois: "Vós não sabeis o que pedis. Podeis beber o cálice que eu hei de beber"? Eles prontamente responderam: "Podemos". "Pois bem, isto é verdade", concluiu Jesus; "porém, dar-vos o primeiro lugar no Reino, isto depende do meu Pai que está no céu" (cf. Mt 20, 20-28).

Realmente, Tiago foi o primeiro entre os Apóstolos a beber do cálice do Senhor morrendo mártir, decapitado sob Herodes Agripa nos dias da Páscoa (cf. At 12, 2-3) pelo ano 44. E esta é a última notícia que as Escrituras nos transmitem sobre a pessoa de Tiago. Que tenha ido a Compostela na Espanha não passa de conjeturas pouco fundadas. Só na Idade Média surge a versão das relíquias conservadas em Santiago de Compostela. Fato é que na Idade Média Santiago de Compostela se tornou grande centro de peregrinações. O caminho de Santiago está entre as três célebres peregrinações dos cristãos da Europa cristã: o túmulo vazio do Senhor em Jerusalém, o túmulo dos Apóstolos Pedro e Paulo em Roma e o "túmulo" de São Tiago na Espanha, com o célebre caminho de Santiago de Compostela.

A par da mensagem de todo Apóstolo que comemora a vocação e a missão da Igreja, toda ela apostólica, São Tiago também apresenta uma mensagem particular bastante rica que aparece nos textos litúrgicos. Ele se encontra entre os primeiros discípulos de Cristo; faz parte do grupo dos três Apóstolos privilegiados que são admitidos por Jesus para viverem os mistérios mais profundos e secretos do Senhor; custa a entender o caminho da cruz e o Messias servo de Deus, onde todos são chamados a servir; o primeiro dos Apóstolos a dar testemunho do Senhor, participando de sua paixão e morte.

O mistério de Cristo revelado pelo apóstolo Tiago Maior vem bem expresso na Oração coleta: Deus eterno e todo-poderoso, que pelo sangue de São Tiago consagrastes as primícias dos trabalhos dos Apóstolos, concedei que a vossa Igreja seja confirmada pelo seu testemunho e sustentada pela sua proteção.

A Oração sobre as oferendas recorda a participação de Tiago na paixão do Filho de Deus e o primeiro dos Apóstolos a beber o cálice do Senhor.

São Tiago, rogai por nós!