Apoiadores do Pocket Terço
Terço com imagens no Youtube
Reze os Mistérios Dolorosos com imagens

Antífona de entrada

Sei em quem acreditei; e estou certo de que o justo juiz conservará a minha fé até o dia de sua vinda. (2Tm 1, 12; 4, 8)
Scio cui crédidi, et certus sum, quia potens est depósitum meum serváre in illum diem. Ps. Dómine probásti me, et cognovísti me: tu cognovísti sessiónem meam, et resurrectiónem meam. (2 Tim. 1, 12; Ps. 138)
Vernáculo:
Sei em quem acreditei; e estou certo de que o justo juiz conservará a minha fé até o dia de sua vinda. (Cf. MR: 2Tm 1, 12) Sl. Senhor, vós me sondais e conheceis, sabeis quando me sento ou me levanto. (Cf. LH: Sl 138, 1-2)

Glória

Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados.
Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo poderoso.
Nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória.
Senhor Jesus Cristo, Filho unigênito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus pai, Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.
Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica.
Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós.
Só Vós sois o Santo, só Vós, o Senhor, Só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai.
Amém.

Oração do dia

Ó Deus, que instruístes o mundo inteiro pela pregação do apóstolo São Paulo, dai-nos, ao celebrar hoje sua conversão, caminhar para vós seguindo seus exemplos, e ser no mundo testemunhas do Evangelho. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (At 22, 3-16)


Leitura dos Atos dos Apóstolos


Naqueles dias, Paulo disse ao povo: 3“Eu sou judeu, nascido em Tarso da Cilícia, mas fui criado aqui nesta cidade. Como discípulo de Gamaliel, fui instruído em todo o rigor da Lei de nossos antepassados, tornando-me zeloso da causa de Deus, como acontece hoje convosco. 4Persegui até à morte os que seguiam este Caminho, prendendo homens e mulheres e jogando-os na prisão. 5Disso são minhas testemunhas o Sumo Sacerdote e todo o conselho dos anciãos. Eles deram-me cartas de recomendação para os irmãos de Damasco. Fui para lá, a fim de prender todos os que encontrasse e trazê-los para Jerusalém, a fim de serem castigados. 6Ora, aconteceu que, na viagem, estando já perto de Damasco, pelo meio dia, de repente uma grande luz que vinha do céu brilhou ao redor de mim. 7Caí por terra e ouvi uma voz que me dizia: ‘Saulo, Saulo, por que me persegues?’ 8Eu perguntei: ‘Quem és tu, Senhor?’ Ele me respondeu: ‘Eu sou Jesus, o Nazareno, a quem tu estás perseguindo’. 9Meus companheiros viram a luz, mas não ouviram a voz que me falava. 10Então perguntei: ‘Que devo fazer, Senhor?’ O Senhor me respondeu: ‘Levanta-te e vai para Damasco. Ali te explicarão tudo o que deves fazer’. 11Como eu não podia enxergar, por causa do brilho daquela luz, cheguei a Damasco guiado pela mão dos meus companheiros. 12Um certo Ananias, homem piedoso e fiel à Lei, com boa reputação junto de todos os judeus que aí moravam, 13veio encontrar-me e disse: ‘Saulo, meu irmão, recupera a vista!’ No mesmo instante, recuperei a vista e pude vê-lo. 14Ele, então, me disse: ‘O Deus de nossos antepassados escolheu-te para conheceres a sua vontade, veres o Justo e ouvires a sua própria voz. 15Porque tu serás a sua testemunha diante de todos os homens, daquilo que viste e ouviste. 16E agora, o que estás esperando? Levanta-te, recebe o batismo e purifica-te dos teus pecados, invocando o nome dele!’”

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Ou:


Primeira Leitura (At 9, 1-22)


Leitura dos Atos dos Apóstolos


1Naqueles dias, Saulo só respirava ameaças e morte contra os discípulos do Senhor. Ele apresentou-se ao Sumo sacerdote 2e pediu-lhe cartas de recomendação para as sinagogas de Damasco, a fim de levar presos para Jerusalém os homens e mulheres que encontrasse seguindo o Caminho.

3Durante a viagem, quando já estava perto de Damasco, Saulo, de repente, viu-se cercado por uma luz que vinha do céu. 4Caindo por terra, ele ouviu uma voz que lhe dizia: “Saulo, Saulo, por que me persegues?”

5Saulo perguntou: “Quem és tu, Senhor?” A voz respondeu: “Eu sou Jesus, a quem tu estás perseguindo. 6Agora, levanta-te, entra na cidade, e ali te será dito o que deves fazer”. 7Os homens que acompanhavam Saulo ficaram mudos de espanto, porque ouviam a voz, mas não viam ninguém. 8Saulo levantou-se do chão e abriu os olhos, mas não conseguia ver nada. Então pegaram nele pela mão e levaram-no para Damasco. 9Saulo ficou três dias sem poder ver. E não comeu nem bebeu. 10Em Damasco, havia um discípulo chamado Ananias. O Senhor o chamou numa visão: “Ananias!” E Ananias respondeu: “Aqui estou, Senhor!” 11O Senhor lhe disse: “Levanta-te, vai à rua que se chama Direita e procura, na casa de Judas, por um homem de Tarso chamado Saulo. Ele está rezando”.

12E, numa visão, Saulo contemplou um homem chamado Ananias, entrando e impondo-lhe as mãos para que recuperasse a vista. 13Ananias respondeu: “Senhor, já ouvi muitos falarem desse homem e do mal que fez aos teus fiéis que estão em Jerusalém. 14E aqui em Damasco ele tem plenos poderes, recebidos dos sumos sacerdotes, para prender todos os que invocam o teu nome”. 15Mas o Senhor disse a Ananias: “Vai, porque esse homem é um instrumento que escolhi para anunciar o meu nome aos pagãos, aos reis e ao povo de Israel. 16Eu vou mostrar-lhe quanto ele deve sofrer por minha causa”. 17Então Ananias saiu, entrou na casa, e impôs as mãos sobre Saulo, dizendo: “Saulo, meu irmão, o Senhor Jesus, que te apareceu quando vinhas no caminho, ele me mandou aqui para que tu recuperes a vista e fiques cheio do Espírito Santo”.

18Imediatamente caíram dos olhos de Saulo como que escamas e ele recuperou a vista. Em seguida, Saulo levantou-se e foi batizado. 19Tendo tomado alimento, sentiu-se reconfortado. Saulo passou alguns dias com os discípulos de Damasco, 20e logo começou a pregar nas sinagogas, afirmando que Jesus é o Filho de Deus. 21Os ouvintes ficavam perplexos e comentavam: “Este não é o homem que, em Jerusalém, perseguia com violência os que invocavam o nome de Jesus? E não veio aqui, justamente, para prendê-los e levá-los aos sumos sacerdotes?” 22Mas Saulo se fortalecia cada vez mais e deixava confusos os judeus que moravam em Damasco, demonstrando que Jesus é o Messias.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 116)


℟. Ide, por todo o mundo, a todos pregai o Evangelho.
Ou: Aleluia, aleluia, aleluia.


— Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes, povos todos, festejai-o! ℟.

— Pois comprovado é seu amor para conosco, para sempre ele é fiel! ℟.


https://youtu.be/yuBhx0B1mqg
℟. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
℣. Eu vos designei para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça, assim disse o Senhor. (Cf. Jo 15, 16) ℟.

Evangelho (Mc 16, 15-18)


℣. O Senhor esteja convosco.

℟. Ele está no meio de nós.


℣. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Marcos 

℟. Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, Jesus se manifestou aos onze discípulos, 15e disse-lhes: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura! 16Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado. 17Os sinais que acompanharão aqueles que crerem serão estes: expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas; 18se pegarem em serpentes ou beberem algum veneno mortal não lhes fará mal algum; quando impuserem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Antífona do Ofertório

Mihi autem nimis honoráti sunt amíci tui, Deus: nimis confortátus est principátus eórum. (Ps. 138, 17)


Vernáculo:
Quão insondáveis são os vossos pensamentos! Incontável, ó Senhor, é o seu número! (Cf. LH: Sl 138, 17)

Sobre as Oferendas

Que o vosso Espírito, ó Deus, nos conceda nesta celebração a luz da fé que sempre iluminou o apóstolo São Paulo para anunciar o vosso nome aos povos. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Vivo da fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim. (Gl 2, 20)
Signa eos qui in me credunt, haec sequéntur: daemónia eícient: super aegros manus impónent, et bene habébunt. (Mc. 16, 17. 18; ℣. Ps. 88, 2. 4. 6. 20. 21. 22. 25. 29)
Vernáculo:
Eis os sinais que acompanharão aqueles que crerem: expulsarão demônios em meu nome e quando impuserem as mãos sobre os enfermos, estes ficarão curados. (Cf. Bíblia CNBB: Mc 16, 17a. 18b)

Depois da Comunhão

Que esta comunhão, Senhor nosso Deus, alimente em nós o ardor da caridade que inflamava o apóstolo São Paulo em sua solicitude por todas as Igrejas. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 25/01/2022
Festa da Conversão de São Paulo, Apóstolo

De ferrenho perseguidor dos cristãos a grande evangelizador, Paulo é, sobretudo para estes dias de tibieza e frouxidão apostólica, a imagem ideal de um coração enamorado da única verdade que une povos e nações, o próprio Senhor Jesus.

Celebramos hoje a conversão de São Paulo, Apóstolo dos gentios. Por ocasião desta festa, a Liturgia nos apresenta o relato que o Evangelista Marcos faz da última aparição de Nosso Senhor. Com efeito, pouco antes de voltar para junto do Pai, Jesus mostrou-se uma vez mais aos Onze e deu-lhes a seguinte missão: "Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura" (Mc 16, 15; cf. Mt 28, 19; Lc 24, 47; Jo 20, 21). Trata-se aqui, por assim dizer, do maior milagre que a humanidade tem podido contemplar: o milagre — e o dom — da evangelização. E é São Paulo, um "instrumento escolhido" (At 9, 15) pelo próprio Senhor, o modelo de todo o empenho evangelizador a que a Igreja Católica se tem entregue há quase dois mil anos.

Antes porém de ser chamado a levar o nome de Jesus diante das nações, Saulo de Tarso foi um ferrenho e ardoroso perseguidor dos cristãos. Respirando ameaças e morte contra os discípulos do Senhor (cf. At 9, 1), Saulo acreditava servir ao Deus de Israel ao exterminar aqueles novos "idólatras" e "blasfemos" que faziam de um simples nazareno o Rei dos judeus. Foi inclusive a seus pés que os algozes de Santo Estevão, tomados de incontrolável raiva, depuseram os mantos a fim de apedrejar o primeiro mártir de que se gloriaria a então nascente religião cristã (cf. At 7, 58s). E é no entanto o mesmo Cristo Jesus quem, identificando-se com os que em seu nome padeciam injustiças e tribulações, apareceria a este jovem zeloso a caminho de Damasco: "Saulo, Saulo", diz-lhe o Senhor, "por que me persegues?" (At 9, 4).

A grandeza deste encontro pessoal com Cristo deveria causar-nos sempre uma salutar admiração, pois Deus, com apenas o dar-se a conhecer àquele moço determinado, não apenas o converte como, inclusive, de grande perseguidor o faz muito maior evangelizador. Todas as epístolas de Paulo — como, de resto, não poderia deixar de ser — deixam transparecer com imensa nitidez a profunda mudança que o Senhor operara em seu íntimo e o amor que lhe dera para, sofrendo pelo Evangelho, anunciar a todos os povos o santo nome de Cristo: "[…] nisto não só me alegro", escreve aos filipenses, "mas sempre me alegrarei. Pois sei que isto me resultará em salvação" (Fl 1, 18s). São Paulo permanece, ainda para esses nossos dias de tibieza e frouxidão apostólica, o farol para a nossa atividade evangelizadora; ele é e sempre será o retrato perfeito do que deve ser um coração convertido à verdade, que é Cristo.

"Caritas Christi urget nos", a caridade do Senhor nos impele a, por amor aos povos, levar a todas as nações o único amor que liberta, a única verdade que ilumina, o único caminho que conduz ao Pai. Que a infinita caridade dAquele que por nós morreu na Cruz nos inspire a, com sincero zelo e amor entranhado pelas almas, anunciar, nas circunstâncias particulares que Deus nos colocou, a Palavra viva descida do Céu, Cristo Salvador. Que São Paulo rogue por nós, pobres e pequeninos evangelizadores, e nos comunique um pouco do ardor que o levara a atravessar continentes, a sofrer perseguições, a passar fome, sede e frio — tudo por um único cuidado, uma única paixão: a verdade inabalável do Evangelho.

Deus abençoe você!

Seja um apoiador!
Ajude-nos a manter o Pocket Terço: pocketterco.com.br/ajude

Homilia Diária | Uma conversão milagrosa (Festa da Conversão de São Paulo)

Tem a conversão do Apóstolo São Paulo, cuja festa celebramos hoje em união com toda a Igreja, uma semelhança e duas diferenças fundamentais em relação às conversões ordinárias. A primeira se refere à natureza, e as últimas ao modo da conversão.Quer saber mais? Então assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta terça-feira, dia 25 de janeiro, e medite conosco sobre esse episódio tão decisivo na história da difusão do Evangelho por todo o mundo.


https://youtu.be/z2pktl3-Yv8

Santo do dia 25/01/2022


Conversão de São Paulo (Festa)
Data: 25 de Janeiro † c. 67


São quatro os santos que têm na Igreja uma segunda festa ou comemoração. São Pedro e São Paulo possuem uma segunda comemoração em nível de festa. Além da solenidade no dia 29 de junho, São Pedro é comemorado no dia 22 de fevereiro sob o título "Cátedra de São Pedro"; São Paulo, além de sua solenidade também no dia 29 de junho, é comemorado com festa no dia 25 de janeiro, a "Conversão de São Paulo"; São João Batista, além da solenidade de 24 de junho, é comemorado na data do seu martírio no dia 29 de agosto, em nível de memória obrigatória, "O Martírio de São João Batista", sendo que as Laudes e as Vésperas são festivas, isto é, com textos próprios: São José, em sua humildade, além da solenidade no dia 19 de março que cai sempre na Quaresma, contenta-se com uma memória facultativa no dia 1º de maio, "São José Operário".

Antes de ser propriamente uma festa da Conversão de São Paulo é a comemoração de sua vocação, que teve origem numa grande experiência do Cristo Senhor Ressuscitado, no caminho de Damasco (cf. At 9, 4-5). Assim, como os Apóstolos foram impelidos para o anúncio após a experiência de Cristo Jesus durante sua vida pública, mas, sobretudo, após a Ressurreição, também Paulo é chamado e impelido a anunciar o seu Senhor a partir do seu encontro com Ele no caminho de Damasco, com todo o zelo de sua forte e rica personalidade.

As duas festas complementares, a de São Pedro e a de São Paulo, expressam bem a vocação e a missão próprias de cada uma das duas colunas da Igreja. A Festa da Cátedra de São Pedro comemora o papel de Pedro na vida da Igreja, o Vigário de Cristo na Igreja, o Chefe da Igreja, sinal de unidade na verdade. A Festa da Conversão de São Paulo, por sua vez, comemora o papel de Paulo no mistério de Cristo e da Igreja. Paulo é chamado para anunciar o Evangelho de Cristo no mundo inteiro. Para tanto, foi necessário que ele passasse por um profundo processo de conversão, que fizesse uma experiência do sagrado, de Cristo morto e ressuscitado, foi necessário que aderisse totalmente a Cristo. Feita a experiência do Cristo total ele pode ser no mundo testemunha do Evangelho, exemplo para toda a Igreja.

Paulo foi eleito ou escolhido por Deus para ser um vaso de eleição para levar o nome de Jesus à presença dos gentios, dos reis e dos filhos de Israel (cf. At 9, 15); foi chamado para anunciar o Evangelho aos pagãos como Pedro, aos filhos de Israel (cf. GI 2, 7-9).

A expressão litúrgica da festa é muito rica. Realça antes de tudo a fé de Paulo: Vivo da fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim (Gl 2, 20).

Em seguida, a Igreja contempla o apóstolo Paulo como apóstolo e doutor de todas as gentes. Que a partir do exemplo da conversão de Paulo os fiéis possam ser no mundo testemunhas do Evangelho. Sobressai ainda o ardor da caridade que inflamava o apóstolo São Paulo em sua solicitude por todas as Igrejas. Temos ainda aquele que, com perseverança, corre em busca do prêmio. Paulo confessa com humildade: Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores. E eu sou o primeiro deles! (1Tm 1, 15).

Resumindo, podemos dizer com o hino de Vésperas: Contra o nome de Cristo lutara, inflamado de grande furor, mas ardeu maior chama em seu peito anunciando de Cristo o amor.

Referência:
BECKHÄUSER, Frei Alberto. Os Santos na Liturgia: testemunhas de Cristo. Petrópolis: Vozes, 2013. 391 p. Adaptações: Equipe Pocket Terço.