Apoiadores do Pocket Terço
Terço com imagens no Youtube
Reze os Mistérios Gloriosos com imagens

Antífona de entrada

Exulte o coração dos que buscam a Deus. Sim, buscai o Senhor e sua força, procurai sem cessar a sua face. (Sl 104, 3-4)

Glória

Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados.
Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo poderoso.
Nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória.
Senhor Jesus Cristo, Filho unigênito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus pai, Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.
Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica.
Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós.
Só Vós sois o Santo, só Vós, o Senhor, Só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai.
Amém.

Oração do dia

Deus eterno e todo-poderoso, aumentai em nós a fé, a esperança e a caridade e dai-nos amar o que ordenais para conseguirmos o que prometeis. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Jr 31, 7-9)


Leitura do Livro do Profeta Jeremias


Isto diz o Senhor: “Exultai de alegria por Jacó, aclamai a primeira das nações; tocai, cantai e dizei: ‘Salva, Senhor, teu povo, o resto de Israel’.

8Eis que eu os trarei do país do Norte e os reunirei desde as extremidades da terra; entre eles há cegos e aleijados, mulheres grávidas e parturientes: são uma grande multidão os que retornam.

9Eles chegarão entre lágrimas e eu os receberei entre preces; eu os conduzirei por torrentes d’água, por um caminho reto onde não tropeçarão, pois tornei-me um pai para Israel, e Efraim é o meu primogênito”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Salmo Responsorial (Sl 125)


℟. Maravilhas fez conosco o Senhor, exultemos de alegria!


— Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, parecíamos sonhar; encheu-se de sorriso nossa boca, nossos lábios, de canções. ℟.

— Entre os gentios se dizia: “Maravilhas fez com eles o Senhor!” Sim, maravilhas fez conosco o Senhor, exultemos de alegria! ℟.

— Mudai a nossa sorte, ó Senhor, como torrentes no deserto. Os que lançam as sementes entre lágrimas, ceifarão com alegria. ℟.

— Chorando de tristeza sairão, espalhando suas sementes; cantando de alegria voltarão, carregando os seus feixes! ℟.


Segunda Leitura (Hb 5, 1-6)


Leitura da Carta aos Hebreus


Todo sumo-sacerdote é tirado do meio dos homens e instituído em favor dos homens nas coisas que se referem a Deus, para oferecer dons e sacrifícios pelos pecados.

2Sabe ter compaixão dos que estão na ignorância e no erro, porque ele mesmo está cercado de fraqueza. 3Por isso, deve oferecer sacrifícios tanto pelos pecados do povo, quanto pelos seus próprios.

4Ninguém deve atribuir-se esta honra, senão o que foi chamado por Deus, como Aarão.

5Deste modo, também Cristo não se atribuiu a si mesmo a honra de ser sumo-sacerdote, mas foi aquele que lhe disse: “Tu és o meu Filho, eu hoje te gerei”. 6Como diz em outra passagem: “Tu és sacerdote para sempre, na ordem de Melquisedec”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

℟. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
℣. Jesus Cristo, Salvador, destruiu o mal e a morte; fez brilhar, pelo Evangelho, a luz e a vida imperecíveis. (Cf. 2Tm 1, 10) ℟.

Evangelho (Mc 10, 46-52)


℣. O Senhor esteja convosco.

℟. Ele está no meio de nós.


℣. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Marcos 

℟. Glória a vós, Senhor.


N aquele tempo, 46Jesus saiu de Jericó, junto com seus discípulos e uma grande multidão. O filho de Timeu, Bartimeu, cego e mendigo, estava sentado à beira do caminho. 47Quando ouviu dizer que Jesus, o Nazareno, estava passando, começou a gritar: “Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!”

48Muitos o repreendiam para que se calasse. Mas ele gritava mais ainda: “Filho de Davi, tem piedade de mim!” 49Então Jesus parou e disse: “Chamai-o”. Eles o chamaram e disseram: “Coragem, levanta-te, Jesus te chama!”

50O cego jogou o manto, deu um pulo e foi até Jesus. 51Então Jesus lhe perguntou: “O que queres que eu te faça?” O cego respondeu: “Mestre, que eu veja!” 52Jesus disse: “Vai, a tua fé te curou”. No mesmo instante, ele recuperou a vista e seguia Jesus pelo caminho.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Creio

Creio em Deus Pai Todo-Poderoso,
Criador do céu e da terra;
e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor;
que foi concebido pelo poder do Espírito Santo;
nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado.
Desceu à mansão dos mortos;
ressuscitou ao terceiro dia;
subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos;
creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna.
Amém.

Sobre as Oferendas

Olhai, ó Deus, com bondade, as oferendas que colocamos diante de vós, e seja para vossa glória a celebração que realizamos. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Com a vossa vitória então exultaremos, levantando as bandeiras em nome do Senhor. (Sl 19, 6)

Ou:


O Cristo nos amou e por nós se entregou a Deus, como oferenda e sacrifício santo. (Ef 5, 2)

Depois da Comunhão

Ó Deus, que os vossos sacramentos produzam em nós o que significam, a fim de que um dia entremos em plena posse do mistério que agora celebramos. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 24/10/2021
Abramos os nossos olhos para enxergarmos a graça de Deus

“Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!” (Marcos 10,47).

O cego, filho de Timeu, Bartimeu, além de cego também mendigava e estava sempre ali sentado à beira do caminho, Mesmo cego ele "enxergou" Jesus. Mas como é que o enxergou? Ele enxergou Jesus pelo olhar da graça porque muitos que tinham dois olhos (fisicamente enxergando tudo), não estavam enxergando a presença de Jesus. Do mesmo modo, somos nós quem vivemos no mundo em que estamos e, muitas vezes, não enxergamos o que precisa ser enxergado, não enxergamos uns aos outros, não enxergamos a graça de Deus que está aqui no meio de nós.

O grito de Bartimeu precisa ser o nosso grito: "Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim, porque não enxergo, não vejo o teu Reino, não vejo a tua graça acontecendo aqui em nosso meio". Aqui é uma atitude, inclusive, de humildade, porque foi isso que esse cego teve: muita humildade. Quando ele clama para que Jesus tenha misericórdia e compaixão dele, ele está reconhecendo as suas misérias, mas, ao mesmo tempo, ele está proclamando que Jesus é o Messias, que Jesus é o Senhor, que Jesus é a luz que os seus olhos precisam acima de tudo.


Não enxergamos, acima de tudo, a direção, a luz, a graça de Deus para agir em nossa vida

Às vezes, achamos que a luz está em nós, que a graça está em nós. Desculpa, mas não nos enxergamos como deveríamos nos enxergar! Graças a Deus, temos qualidades, dons, capacidades; nenhum de nós é incapacitado para o bem, todos nós temos capacidade de fazer e praticar o bem, mas há um problema: não enxergamos o bem que podemos fazer, enxergamos demais os defeitos e os problemas, a vida dos outros; e não nos enxergamos, não enxergamos, acima de tudo, a direção, a luz, a graça de Deus para agir em nossa vida.

Bartimeu enxergou Jesus, ele enxergou a sua própria miséria, ele não estava ali como um coitado para dizer: “Eu fiquei cego”, ele não estava ali com o sentimento de culpa e nem de acusação, mas de profunda contrição, suplicando misericórdia, perdão, suplicando a compaixão do coração de Jesus.

É preciso sair do vitimismo, é preciso sair daquela atitude de coitados, é preciso sair daquela atitude que nós, muitas vezes, tomamos para que os outros olhem para nós como se fôssemos vítimas do mal do mundo, das pessoas, e nos comportarmos na atitude ativa de reconhecer que somos pecadores, frágeis, necessitados da misericórdia divina e implorar que, assim como Jesus abriu os olhos de Bartimeu, o Senhor abra também os nossos olhos para enxergarmos a Sua graça, a Sua presença no meio de nós e, assim, enxergarmos uns aos outros, como precisamos tantas vezes ver e não vemos.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador!
Ajude-nos a manter o Pocket Terço: apoia.se/pocketterco

Homilia | Bartimeu, o cego que viu mais que todos (30.º Domingo do Tempo Comum)

Se há uma coisa que caracteriza os católicos de hoje, tão carentes de boa doutrina e de uma sã espiritualidade, é o horror à cruz. Quantos deles, mesmo que cumpram fielmente seus deveres religiosos, olham para a crucificação como um desconfortável erro de percurso na vida de Jesus. Pensam que a vitória está apenas na glória da ressurreição, mas esquecem que não é menor o triunfo de Cristo sobre o diabo e o pecado, esmagados entre as pedras do Calvário. Assista à meditação do Padre Paulo Ricardo sobre o Evangelho deste domingo, e peçamos a Deus que nos abra os olhos do coração, para vermos, como viu Bartimeu, que o nosso caminho é o mesmo de Cristo, de Jericó para Jerusalém e do Calvário para o céu!


https://youtu.be/g_a96ziv_Zo

Santo do dia 24/10/2021


Santo Antônio Maria Claret (Memória Facultativa)
Local: Frontfroide, França
Data: 24 de Outubro † 1870


Antônio Maria nasceu em Sallent, perto de Barcelona, na Espanha, em 1807. Certamente um dos santos mais marcantes como apóstolo do Evangelho do século XIX, século em que se celebrou o Concilio Vaticano I. Na pia batismal recebeu o nome de Antônio, ao qual acrescentou mais tarde o de Maria, considerando Nossa Senhora sua mãe, sua madrinha, sua mestra, seu tudo, depois de Cristo. Antônio Maria teve na vida uma atividade multiforme. Pode ser considerado modelo completo de santidade, como operário, sacerdote, missionário, pastor, bispo, diretor de almas, fundador de famílias religiosas, confessor, conselheiro e escritor fecundíssimo.

Depois de ajudar o pai numa fábrica de tecidos, com 22 anos de idade, entrou no seminário de Barcelona para ser padre e padre missionário. Ordenado sacerdote, trabalhou como vigário cooperador em pequena paróquia e, depois de poucos anos, como pároco em sua aldeia natal. Desejou, porém, ser engajado como missionário. Assim, a partir de 1843, dedicou-se às missões populares através da Catalunha e depois nas ilhas Canárias. Em 1848 lançou os fundamentos da Congregação dos Missionários Filhos do Coração de Maria, que popularmente são conhecidos como claretianos.

Mal havia acabado de fundar a sua Congregação e realizar a providencial obra da imprensa e livrarias religiosas, o padre Antônio Maria foi nomeado Arcebispo de Santiago de Cuba. Esperava-o a difícil tarefa de defender os oprimidos da Ilha contra a exploração estrangeira, o que lhe ocasionou muitas perseguições e mesmo atentados contra sua vida. Ao chegar às terras cubanas, foi logo visitar o Santuário Nacional de Nossa Senhora do Cobre, padroeira da Ilha. Suas visitas pastorais eram verdadeiras missões que operavam a renovação espiritual das cidades e aldeias visitadas. Durante estas visitas ele pregava, catequizava, confessava, convocava encontros com o clero e as religiosas, visitava os doentes e interessava-se pela situação dos negros e escravos, no intuito de eliminar as discriminações raciais e favorecer a justiça e a igualdade para todos.

Em Cuba restaurou o antigo seminário, fundou escolas populares e, para dar perenidade à sua obra educativa, fundou uma Congregação religiosa dedicada ao magistério sob o título de Religiosas de Maria Imaculada. Os numerosos escritos populares de divulgação da doutrina cristã e defesa da ortodoxia constituem outra expressão do seu fecundo apostolado.

Exonerado do arcebispado de Cuba, talvez pressionado pelas perseguições e frequentes atentados, ele volta para a Espanha. Foi chamado pela corte para ser confessor da rainha que, por sinal, não primava muito pelo espírito religioso. Tal cargo foi-lhe uma cruz. Teve que enfrentar então as mais vis calúnias, movidas pelos adversários políticos da coroa espanhola, que o tachavam de monarquista, oposto aos ventos das ideias liberais que sopravam na Europa toda. Pôde cuidar também da sua Congregação religiosa. Com a deposição da rainha Isabel II, em 1860, Antônio Maria retirou-se para a França e daí para Roma, onde participaria do Concilio Vaticano I.

Como um dos mais fervorosos defensores da infalibilidade papal. Mesmo assim, continuou suas atividades pastorais e de escritor até ao fim de sua existência terrena que se deu no dia 24 de outubro de 1870 na abadia cisterciense de Fontfroide, na França. Por ocasião de sua beatificação, o papa Pio XI disse: "Antônio Maria Claret é uma figura verdadeiramente grande, como apóstolo infatigável, organizador moderno e precursor da Ação Católica, principalmente por meio da imprensa, na qual não foi superado talvez por ninguém". Foi canonizado em 1950.

No Brasil podemos constatar uma bela presença dos padres claretianos. Especial destaque merece a Editora Ave Maria, com a publicação da Bíblia e a conhecida revista Ave Maria.

A Oração coleta realça a propagação do Evangelho entre os povos com sua caridade e paciência admirável. Ela pede a Deus por sua intercessão que nos apliquemos com todo empenho em conquistar nossos irmãos para o Cristo. Quão importante para a Igreja hoje o testemunho de Santo Antônio Maria Claret, nestes tempos em que a Igreja é novamente convocada para a nova evangelização.

Referência:
BECKHÄUSER, Frei Alberto. Os Santos na Liturgia: testemunhas de Cristo. Petrópolis: Vozes, 2013. 391 p. Adaptações: Equipe Pocket Terço.