Primeira Leitura (Is 58,9b-14)


Leitura do Livro do Profeta Isaías.


Assim fala o Senhor, 9bse destruíres teus instrumentos de opressão, e deixares os hábitos autoritários e a linguagem maldosa; 10se acolheres de coração aberto o indigente e prestares todo socorro ao necessitado, nascerá nas trevas a tua luz e tua vida obscura será como o meio-dia.


11O Senhor te conduzirá sempre e saciará tua sede na aridez da vida, e renovará o vigor do teu corpo; serás como um jardim bem regado, como uma fonte de águas que jamais secarão. 12Teu povo reconstruirá as ruínas antigas; tu levantarás os fundamentos das gerações passadas: serás chamado reconstrutor de ruínas, restaurador de caminhos, nas terras a povoar.


13Se não puseres o pé fora de casa no sábado, nem tratares de negócios em meu dia santo, se considerares o sábado teu dia favorito, o dia glorioso, consagrado ao Senhor, se o honrares, pondo de lado atividades, negócios e conversações, 14então te deleitarás no Senhor; eu te farei transportar sobre as alturas da terra e desfrutar a herança de Jacó, teu pai. Falou a boca do Senhor.


Responsório (Sl 85)


— Ensinai-me os vossos caminhos e na vossa verdade andarei.


— Ensinai-me os vossos caminhos e na vossa verdade andarei.


— Inclinai, ó Senhor, vosso ouvido, escutai, pois sou pobre e infeliz! Protegei-me, que sou vosso amigo, e salvai vosso servo, meu Deus, que espera e confia em vós!


— Piedade de mim, ó Senhor, porque clamo por vós todo o dia! Animai e alegrai vosso servo, pois a vós eu elevo a minh’alma.


— Ó Senhor, vós sois bom e clemente, sois perdão para quem vos invoca. Escutai, ó Senhor, minha prece, o lamento da minha oração!


Evangelho (Lc 5,27-32)


— O Senhor esteja convosco.


— Ele está no meio de nós.


— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.


— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, 27Jesus viu um cobrador de impostos, chamado Levi, sentado na coletoria. Jesus lhe disse: “Segue-me”. 28Levi deixou tudo, levantou-se e o seguiu.


29Depois, Levi preparou em casa um grande banquete para Jesus. Estava aí grande número de cobradores de impostos e outras pessoas sentadas à mesa com eles. 30Os fariseus e seus mestres da Lei murmuravam e diziam aos discípulos de Jesus: “Por que vós comeis e bebeis com os cobradores de impostos e com os pecadores?”


31Jesus respondeu: “Os que são sadios não precisam de médico, mas sim os que estão doentes. 32Eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores para a conversão”.


Homilia: Os pecadores são chamados à conversão

Deus nos chama para viver um tempo de conversão

“Os que são sadios não precisam de médicos, mas sim os que estão doentes. Eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores para a conversão” (Lc 5, 27-32).

A sinceridade do coração nos leva a entender e a compreender que todos nós somos fracos, doentes e pecadores. Mais cedo ou mais tarde, a fragilidade bate na nossa porta e ninguém, por mais que nos esforcemos, que façamos exercícios físicos ou sejamos disciplinados no alimentar, tudo isso pode prolongar um pouco mais a nossa vida e, é ótimo! Mas, a fragilidade bate na nossa porta, pois, uma vez que, a morte entrou no mundo, somos sujeitos a ela e à medida que o tempo passa, ela nos chama para mais perto.

É o ciclo o ciclo natural da vida e isso não é ruim. Na verdade é uma graça reconhecer a nossa fraqueza, impotência e miséria, porque isso não eleva aquele espírito orgulhoso e soberbo que, muitas vezes, tomam conta de nós. Reconhecer as nossas fraquezas nos ajuda, inclusive, a compreender a condição de pecadores que nós somos.

Não é simplesmente dizer: "eu sou o pecador", e sim, reconhecer que, de fato, tenho pecado. Quando reconheço o pecador e a pessoa miserável que eu sou; reconheço a misericórdia de Deus para comigo, desse modo, não me sinto melhor do que os outros, não julgo os outros e não os condeno.

Quem gasta as suas energias para julgar, condenar e fazer juízos de valores é porque não conhece a si mesmo. Às vezes reclamamos, porque (deduzimos) que Deus não está perto de nós, mas, Deus está perto dos pecadores!

Deus vem para cuidar dos pecadores e quanto mais frágil nós nos reconhecermos, mais podemos experimentar da doçura, ternura, bondade, e da misericórdia de Deus para conosco.

É muito importante nos nossos exercícios Quaresmais a sinceridade de coração, pois, ela nos leva a uma verdadeira conversão. Nós só somos convertidos, quando reconhecemos com seriedade, serenidade e profundidade o abismo que encontra-se a minha alma e o meu coração; quando reconhecemos com verdade o pecador que somos, os pecados que temos, a nossa fragilidade; quando reconhecemos que não somos melhor do que ninguém. Quando esses "reconhecimentos" acontecem, Deus vem em nosso socorro, em nosso auxilio e nos transforma, nos toca, nos cura e abençoa, porque a misericórdia d'Ele nos socorre, nos salva e transforma.

Devemos nos apresentar diante do Senhor não como justo, mas como pecador que somos e a Sua misericórdia é o balsamo e o socorro que a noss alma e o nosso coração tanto precisa.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
fb.com/rogeraraujo.cn

Santo do Dia:

Sete Santos fundadores da Ordem dos Servitas

Interessante percebermos o contexto do surgimento desta ordem. No século XII e XIII, predominava uma burguesia anticristã na vivência, porque dizer que é cristão, que é católico, não é difícil, mas vivenciar e testemunhar o amor a Cristo, à Igreja e aos pobres, só com muito esforço e muita graça do Senhor.

Providencialmente, Deus, em sua misericórdia, foi suscitando vários santos como verdadeiros caminhos da fé e da felicidade, como os sete santos de hoje que fundaram a Ordem dos Servos de Maria. Eles pertenciam ao grupo de burgueses, até que foram se aproximando de um grupo de oração que se reunia com uma imagem de Nossa Senhora e ali oravam. Aqueles jovens foram se aproximando e a graça de Deus foi conquistando o coração deles.

Foram sete a dar um passo de radicalidade. Abandonaram o luxo, os cavalos, as festas, e foram viver uma vida monástica como sinal de santidade naquela sociedade em decadência. Com exceção de Alessio, que ficou como irmão religioso, os demais tornaram-se sacerdotes. Mas todos eles, como um só sinal de que ser servo de Cristo e da Virgem Maria, é preciso ter muito amor.

Oração, penitência e renúncia são percebidos na vida dos santos. Essas coisas são comuns, porque brotam da vida de Nosso Senhor Jesus Cristo e estão presentes no Evangelho que a Igreja de Cristo prega.

Sete Santos fundadores da Ordem dos Servitas, rogai por nós!