Antífona de entrada

Vinde, Senhor, que estais acima dos querubins; mostrai-nos a vossa face, e seremos salvos. (Sl 79, 4. 2)

Oração do dia

Ó Deus, que enviastes a este mundo o vosso Unigênito para libertar da antiga escravidão o gênero humano, concedei aos que esperam vossa misericórdia chegar à verdadeira liberdade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Is 30, 19-21. 23-26)


Leitura do Livro do Profeta Isaías


Assim fala o Senhor, o Santo de Israel: 19“Povo de Sião, que habitas em Jerusalém, não terás motivo algum para chorar: ele se comoverá à voz do teu clamor; logo que te ouvir, ele atenderá.

20O Senhor decerto dará a todos o pão da angústia e a água da aflição, não se apartará mais de ti o teu mestre; teus olhos poderão vê-lo 21e teus ouvidos poderão ouvir a palavra de aviso atrás de ti: o caminho é este para todos, segui por ele, sem desviar-vos à direita ou à esquerda.

23Ele te dará chuva para a semente que tiveres semeado na terra, e o fruto da terra será abundante e rico; nesse dia, o teu rebanho pastará em vastas pastagens, 24teus bois e os animais que lavram a terra comerão forragem salgada, limpa com pá e peneira.

25Haverá em toda montanha alta e em toda colina elevada arroios de água corrente, num dia em que muitos serão mortos com o desabamento de seus torreões.

26A lua brilhará como a luz do sol e o sol brilhará sete vezes mais, como a luz de sete dias, no dia em que o Senhor curar a ferida de seu povo e fizer sarar a lesão de sua chaga”.

Salmo Responsorial (Sl 146)


R. Felizes são aqueles que esperam no Senhor!


— Louvai o Senhor Deus, porque ele é bom, cantai ao nosso Deus, porque é suave: ele é digno de louvor, ele o merece! O Senhor reconstruiu Jerusalém, e os dispersos de Israel juntou de novo; R.

— ele conforta os corações despedaçados, ele enfaixa suas feridas e as cura; fixa o número de todas as estrelas e chama a cada uma por seu nome. R.

— É grande e onipotente o nosso Deus, seu saber não tem medida nem limites. O Senhor Deus é o amparo dos humildes, mas dobra até o chão os que são ímpios. R.

Aclamação ao Evangelho

R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. É o Senhor nosso juiz e nosso Rei. O Senhor legislador nos salvará (Is 33, 22) R.

Evangelho (Mt 9, 35–10, 1. 6-8)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Mateus 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, 35Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando em suas sinagogas, pregando o evangelho do Reino, e curando todo tipo de doença e enfermidade.

36Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor. Então disse a seus discípulos: 37“A Messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. 38Pedi pois ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!”

10, 1E, chamando os seus doze discípulos deu-lhes poder para expulsarem os espíritos maus e para curarem todo tipo de doença e enfermidade.

Enviou-os com as seguintes recomendações: 6“Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! 7Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’. 8Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar!”

Sobre as Oferendas

Possamos, ó Pai, oferecer-vos sem cessar estes dons da nossa devoção, para que, ao celebrarmos o sacramento que nos destes, se realizem em nós as maravilhas da salvação. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Eis que venho logo, diz o Senhor, e trago comigo a recompensa: darei a cada um segundo as suas obras. (Ap 22, 12)

Depois da Comunhão

Imploramos, ó Pai, vossa clemência, para que estes sacramentos nos purifiquem dos pecados e nos preparem para as festas que se aproximam. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 05/12/2020
Faça o Reino de Deus acontecer primeiro em sua casa

“Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’. Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios” (Mateus 10,6-8).

Jesus está enviando os Seus para que levem, anunciem e proclamem o Reino de Deus. Assim como Ele enviou os Seus apóstolos e discípulos, Ele também nos envia. E é importante que primeiro precisamos ir como Ele mandou os Seus, as ovelhas perdidas da Casa de Israel.

Sabe, meus irmãos, ainda há muitas ovelhas perdidas dentro da nossa própria casa, da nossa própria família. Aquele ditado de que “Santo de casa não faz milagre”, que “O profeta não é bem aceito em sua casa”, tem sido um amuleto para muitos não levarem a Palavra de Deus para os seus.

É um erro que cometemos, pois não adianta deixarmos nossas obrigações, viajar até o outro lado do mundo para levar o Evangelho, se não o levamos para os nossos.

Tenha, neste tempo do Advento, um propósito muito firme: fazer o Reino de Deus acontecer na sua casa

Este tempo de graça que estamos vivendo é para congregarmos e agregarmos. Agreguemos e congreguemos os nossos. Há pais e mães que ainda não conseguem reunir seus filhos para fazer uma oração nem na hora da refeição. Há pais e mães que deixaram de lado seus filhos. Não desistam deles porque cresceram, porque estão casados; não desistam dos seus de forma nenhuma. Temos muito a anunciar, mas o primeiro anúncio é para os nossos.

Por isso, tenhamos, neste tempo do Advento, um propósito muito firme: fazer o Reino de Deus acontecer na nossa casa. Você deseja fazer a Novena de Natal? Faça primeiro, pelo menos um dia, a novena com a sua casa, com a sua família.

Sei que, quando chega o final de ano, todo mundo começa a se preparar para as festas de Natal. Desculpe-me, mas nossas festas de Natal têm ficado muito pagãs, porque todo mundo se preocupa com o que comer, com o que beber, com a roupa vermelha ou branca que usará, mas ninguém se preocupa com a evangelização, muito menos com o Aniversariante.

Por isso, preparar-se para o Natal não é só comprar presentes, não é fazer as crianças criarem aquela expectativa de que o Papai Noel vai chegar e trazer presentes para elas. Saia dessa fase da ilusão, do erro, do engano, e leve evangelização; depois, as crianças crescem apenas com sentimentos materialistas, e quando se recordam do Natal, recordam-se do presente a ganhar, mas não do presente a dar, não da vida que o Senhor nos trouxe. Por isso é tempo de evangelizar e, por favor, comecemos a evangelizar os nossos.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco

Um bom pastor é um advento de Cristo

Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor. Então disse a seus discípulos: “Pedi ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!” Homilia Diária do Padre Paulo Ricardo, disponível também no aplicativo Pocket Terço.




Santo do dia 05/12/2020

São Martinho de Dume

Oriundo da Panônia, atual Hungria, dirigiu-se ainda jovem para o Oriente, onde professou vida regular: estudou o grego e outras ciências eclesiásticas em que muito cedo se distinguiu, até ser classificado, pelo eminente Doutor Santo Isidoro, como ilustre na fé e na ciência. Também Gregório de Tours o considerou entre os homens insuperáveis do seu tempo. Regressando do Oriente, dirigiu-se depois a Roma e França, onde travou conhecimento com as personagens por então mais insignes em saber e santidade. Sobretudo, quis visitar o túmulo do seu homônimo e compatriota, S. Martinho de Tours, que desde então ficará considerando como seu patrono e modelo. Foi também por essa altura que Martinho se encontrou com o rei dos Suevos, Charrarico, ao qual acompanhou para o noroeste da Península Ibérica, em 550, onde, com restos do gentilismo e bastante ignorância religiosa, se espalhara o Arianismo.

Para acorrer a tantos males, não tardou Martinho em planejar e colocar em andamento seu vigoroso apostolado. Num mosteiro, edificado pelo mesmo rei, em Dume, ao lado de Braga, assenta o grande apóstolo dos suevos suas instalações como escola de monaquismo e base de irradiação catequética e missionária. A igreja do mosteiro é dedicada a S. Martinho de Tours, e foi sagrada em 558. O seu abade foi elevado ao episcopado pelo Bispo de Braga já em 556, em atenção ao seu exímio saber e extraordinário zelo e santidade. Com a subida ao trono do rei Teodomiro (em 559), consumava-se o regresso dos Suevos ao Catolicismo, deixando o Arianismo. Ilustre por tão preclaras prerrogativas, passa Martinho para a Sé de Braga, em 569, quando o Catolicismo nesta região gozava já de alto esplendor, o que tornou possível o 1° Concílio de Braga, em 561, no pontificado de João III. Em 572, foi Martinho a alma do 2° Concílio de Braga. Nesta altura escreveu ele: "Com a ajuda da graça de Deus, nenhuma dúvida há sobre a unidade e retidão da fé nesta província".

S. Martinho de Dume não esqueceu da importância e eficácia do apostolado da pena. Deixou assim várias obras sobre as virtudes monásticas, bem como matérias teológicas e canônicas, pelas quais foi depois reputado e celebrado como Doutor. Faleceu a 20 de março de 579 e foi sepultado na catedral de Dume; mas desde 1606 estão depositadas as suas relíquias na Sé de Braga. Compusera para si, em latim, o seguinte epitáfio sepulcral, em que mostra a veneração que dedicava ao santo Bispo de Tours: "Nascido na Panônia, atravessando vastos mares, impelido por sinais divinos para o seio da Galiza, sagrado Bispo nesta tua igreja, ó Martinho confessor, nela instituí o culto e a celebração da Missa. Tendo-te seguido, ó Patrono, eu, o teu servo Martinho, igual em nome que não em mérito, repouso agora aqui na paz de Cristo".

São Martinho de Dume, rogai por nós!